Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Competência técnica e preparação psicológica fizeram a diferença para o desempenho na competição

Competindo com profissionais técnicos em Robótica Móvel dos estados da Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, a dupla do Senai Paraná Felipe dos Santos Ferreira e Endyeumara dos Anjos Raimundo conquistaram o Ouro e vaga para disputar, em fevereiro de 2022, a final que irá definir o melhor profissional técnico do Brasil para representar o país no mundial da WorldSkills International (WSI), previsto para acontecer em 2022 na China.

Desde 2019, quando conquistaram o Ouro na seletiva estadual da WorldSkills para a Ocupação de Robótica Móvel, Felipe e Endyeumara, egressos do curso Técnico em Mecatrônica e Aprendizagem Industrial em Mecânica do Senai Paraná, por meio da Unidade CIC, em Curitiba, já são considerados os melhores profissionais de nível técnico do Estado para esta profissão. Agora, com o Ouro nesta semifinal, entram para o seleto grupo de brasileiros listados entre os melhores profissionais técnicos do País em Robótica Móvel.

“A Endyeumara com sua capacidade de percepção, atenção aos detalhes e tomada de decisão fez uma dobradinha incrível com o talentoso parceiro na dupla, Felipe, detentor de muito conhecimento para a área de robótica e que foi igualmente grandioso na sua participação. Felipe e Endyeumara são grandes campeões e vou continuar torcendo muito por eles para conquistarem o mundial de profissões em Shanghai”, diz Marcos Pires, delegado técnico do Senai Paraná para a WorldSkills que acompanhou a dupla durante a competição.

 “Foi muito incrível a competição. A semana passou muito rápido e conquistar o Ouro para o Paraná foi muito especial”, comemora Endyeumara, ao lado do parceiro de dupla Felipe, que também comemora. “Foi incrível. Isso é um sonho. Foi a melhor experiência da minha vida. Estou muito feliz em ter conquistado essa medalha”.

A Robótica móvel é uma parte importante da indústria, com aplicações em diversos setores, incluindo manufatura, agricultura, indústria aeroespacial, mineração e medicina. Os robôs móveis podem ser criados para explorar áreas que são inacessíveis ou perigosas para os seres humanos e, nesse sentido, o robô é programado e testado para garantir um alto e consistente desempenho.

Na WorldSkills, os competidores são responsáveis pela montagem, manutenção, reparação, programação e operação de robôs móveis. Assim, a dupla do Senai Paraná aplicou os conhecimentos e habilidades desenvolvidos no curso que fizeram e nos treinamentos para a competição nas áreas de sistemas mecânicos, elétricos e eletrônicos. Com diferença de 21,08 pontos, Felipe e Endyeumara lideraram a competição conquistando Ouro para o Estado.

 “A competição foi bastante acirrada e o nível dos atletas profissionais foi altíssimo. Os competidores foram avaliados o tempo todo pelos especialistas. As provas foram diárias e os desafios e layout da arena foram propostos na hora. Para auxiliar na preparação desses atletas do conhecimento no Paraná, disponibilizamos, além da preparação técnica, apoio psicológico e comportamental por meio de profissionais e coachs especializados em competições, pois o clima tenso das provas exige um equilíbrio integral”, explica Pires.

A Seletiva WorldSkills de Robótica Móvel aconteceu de 13 a 17 de setembro, na cidade de Lauro de Freitas, na Bahia. Divididas em módulos, as provas submeterem os competidores a um rigoroso processo de avaliação seguindo padrões internacionais de qualidade. Ao todo, 10 atletas do conhecimento e equipe técnica disputaram a vaga para a final que vai definir, em fevereiro de 2022, o melhor profissional técnico brasileiro para representar o país na maior competição de educação profissional do mundo, a WorldSkills International (WSI), prevista para acontecer em outubro de 2022 em Shangai, na China. A dupla do Senai Paraná vai disputar a vaga com Lucas Batista Alves e Eli Abner Silva de Almeida de São Paulo, medalhistas de Prata nesta competição.

Pires explica que para a final, em fevereiro de 2022, a preparação dos competidores do Paraná será ainda mais intensificada. “A dupla precisará se adaptar às novas regras e ao novo descritivo técnico internacional da ocupação que passou por atualizações e ficou ainda mais tecnológico e automatizado. Para isso vamos reunir os especialistas e definir nosso plano de trabalho e estratégias de competição para garantir essa vaga na copa do mundo de profissões da China”, finaliza.

Para disputar a final e conquistar a vaga para Shanghai, o robô utilizado pela dupla do Senai Paraná será reconstruído e atualizado, conforme os padrões do novo descritivo técnico do mundial, incluindo o sistema de programação que foi modernizado pela organização do evento internacional.

Endyeumara foi a única profissional feminina na competição:

Com apenas 21 anos, Endyeumara dos Anjos Raimundo foi a única profissional feminina de nível técnico em Robótica Móvel para esta semifinal da WorldSkills International (WSI). Em 2019, dos 59 estudantes do Senai Paraná medalhistas na Etapa Estadual da WSI – seletiva para Shangai envolvendo 26 Ocupações, apenas 10 profissionais técnicas, incluindo Endyeumara, integraram a lista em sete modalidades. Para as finais de 2022, programadas para acontecer entre janeiro e março e que irão definir os representantes do Brasil nas 24 ocupações da WSI que o Senai Paraná concorre, apenas três profissionais femininas, incluindo Endyeumara, fazem parte da lista.

Felipe dos Santos Ferreira, dupla de Endyeumara para esta ocupação, destaca as qualidades da colega durante a competição. “A Endy é uma pessoa muito atenta, detalhista e minuciosa, que esteve a todo momento trazendo o nosso foco para os detalhes na competição. Tivemos uma sintonia perfeita para desempenhar todas as funções exigidas pela ocupação e conquistar nosso excelente resultado”.

Mesmo sendo a única profissional feminina de nível técnico durante a competição, Endyeumara não sentiu a diferença de gênero na competição. “Tive uma integração tão boa com os todos os envolvidos que não me senti diferenciada no meio de tantos competidores homens. Escolhi robótica pois gosto muito do tema e percebi um clima muito respeitoso e sem diferenças de gênero durante toda competição”, explica.

O delegado técnico do Senai Paraná para a WorldSkills que acompanhou a dupla em Lauro de Freitas, na Bahia, destaca o talento de Endyeumara para a robótica e a presença feminina em profissões até então predominantemente masculinas. “Desde o início dos treinamentos para a fase estadual, Endy mostrou grande talento técnico e determinação. A seriedade e responsabilidade com que ela abraçou esse projeto foi elogiável. Eu fico muito feliz ao ver que as mulheres, em profissões que são predominantes e historicamente do público masculino, estão ganhando espaço e trabalhando com muita qualidade”, finaliza.

Ascom/Fiep

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.