Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 2022, o salário mínimo regional do Paraná completará 16 anos em vigor e, mais do que nunca, a política pública estadual de valorização do trabalhador e de geração de renda mostrou sua importância diante do cenário de alta dos preços e de instabilidade econômica nacional. O Paraná tem o maior piso regional do País, garantindo uma remuneração justa para 1,5 milhão de trabalhadores e servindo de estímulo para a economia do estado.

A proposta de criação de um salário mínimo regional para os trabalhadores paranaenses nasceu na Assembleia Legislativa do Paraná e rapidamente ganhou o apoio do Governo do Estado, dos trabalhadores e também do setor produtivo. "Iniciamos a política do piso regional em 2006 e de lá para cá conseguimos ter grandes avanços. Mantivemos o piso sempre 30% superior ao valor do salário mínimo nacional. Felizmente a política de valorização do salário do trabalhador continua em vigência no Paraná. O piso é fundamental a todas as categorias que não são sindicalizadas e ao mesmo tempo serve para orientar e iluminar acordos coletivos de trabalhos e convenções”, afirma o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná e ex-secretário estadual do Trabalho, Emprego e Economia Solidária.

Na época, o piso regional aprovado por unanimidade beneficiava seis categorias e variava de R$ 427,00 até R$ 437,80. Desde 1º de janeiro desde ano, o valor em vigor varia de R$ 1,6 mil até R$ 1.870,00 em quatro faixas. Valores que foram garantidos com a aprovação na Assembleia Legislativa do Paraná do reajuste do piso regional pela inflação de 2021, com aplicação integral do INPC. “O Paraná mantém essa tradição de ter um piso salarial superior a outros estados. É uma deferência do nosso Governo e dos deputados aos trabalhadores”, ressalta o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB).

Os índices que medem a inflação de 2021 ainda não estão totalizados, mas a estimativa dos especialistas é de que a inflação atinja os 10% no acumulado dos 12 meses do ano passado. Até novembro de 2021, o acumulado do INPC é 9,36%. Com isso, a manutenção de uma política pública de valorização do trabalhador e um piso regional acima da média nacional minimizam o impacto do aumento dos preços no bolso de parte dos trabalhadores paranaenses. “É importante para proteger a renda de 1,5 milhão de trabalhadores”, destacou Romanelli.

Segundo o líder do Governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri (PSD), “o reajuste integral da inflação neste ano é mais do que justo para os trabalhadores diante do aumento expressivo da cesta básica, dos combustíveis, do gás e de tantos outros itens básicos”. Para o líder da Oposição, deputado Professor Lemos (PT), o reajuste “amplia o valor também para a iniciativa privada”.

Emprego

Mais dinheiro em circulação também é um estímulo e tanto para a economia do estado e para a geração e emprego. O Paraná encerrou 2021 com a abertura de mais de 200 mil novos postos de trabalho formais. De acordo com dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, até novembro de 2021 foram criadas 196.143 novas vagas com destaque para a indústria e comércio. A maioria dos novos postos foi ocupada por mulheres com idade entre 18 e 24 anos.

Para 2022, a previsão é ainda melhor. Só nos primeiros dias do ano, as Agências do Trabalhador do estado ofertavam mais de 3 mil vagas de emprego.

ALEP

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.