Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Três anos separam a primeira reunião da Comissão de Infraestrutura do encontro por videoconferência que será realizado nesta sexta-feira (31)

Criada em julho de 2017 por entidades produtivas ligadas ao agronegócio, aos empresários, e de classe de engenheiros e arquitetos, ela vem colhendo avanços nesses três anos de atuação.

Com o objetivo de acelerar obras e projetos prioritários para a expansão econômica da região norte, os representantes definiram algumas obras estratégicas e prioritárias para acompanhar, cobrar prazos e transparência, além de fazer a interlocução com o Governo do Estado.

Fernando Moraes, presidente da ACIL, que integra a Comissão, dois pontos destacam a iniciativa. “O foco em trabalhar até cinco obras de infraestrutura, e a união de pessoas e entidades em torno de um objetivo comum”, afirma.

 “Essa comissão é o símbolo da união entre o político e a sociedade civil organizada. Os méritos são de todos nós, membros da comissão, que optamos por colocar a mão na massa ao invés de apenas reclamar e achar que estava fazendo alguma coisa”, disse o deputado Tiago Amaral, que criou a Comissão junto com Claudio Tedeschi, presidente da ACIL em 2017, a Sociedade Rural, Sociedade Rural do Paraná (SRP), Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL), Sinduscon Norte, Sindimetal Londrina, Grupo Folha de Comunicação, Associação das Empresas do Polo Industrial de Cambé (AEPIC), Associação Médica de Londrina. No ano passado, a OAB Londrina e o CREA se juntaram à Comissão.

A ideia foi manter o foco em algumas obras em vez de listar várias, até em função do alto valor de obras de infraestrutura que são difíceis de tirar do papel. Uma estratégia dos integrantes foi buscar a execução das obras por partes. Se não é possível conseguir recurso para toda a obra de uma vez, vamos avançar por trecho até finalizar a obra, comentam os integrantes.

Símbolo da luta para o desenvolvimento de Londrina e região e conexão com a capital e o Porto de Paranaguá, a duplicação da PR 445, reivindicada há pelo menos trinta anos pelos setores produtivos e por quem transita por ela, é um dos maiores avanços da Comissão.

No primeiro ano da criação, a Comissão conseguiu articular o lançamento da licitação para o trecho de 15 km até Irerê, com prazo de dois anos, que terminaria em julho, mas deverá ser concluído até o final do ano. Atualmente, as equipes trabalham na última obra de arte do trecho, na entrada de Irerê, onde termina a primeira etapa de duplicação. Os 15 km, com várias obras de arte, estão sendo executados pelo valor de R$ 93 milhões de reais.

O maior trecho, de 50 km até Mauá da Serra, está em fase de elaboração de projeto. Também uma conquista da Comissão de Infraestrutura, que articulou o lançamento da licitação para a elaboração do projeto de duplicação da PR 445, que teve início em maio. Atualmente as equipes da empresa Engefoto Engenharia e Aerolevantamentos trabalham na fase de levantamento de topografia e avaliação da condição estrutural dos pavimentos e cálculo de reforço.

Com prazo de até um ano, e valor de R$ 3,6 milhões com financiamento pelo BID, a expectativa dos integrantes da Comissão é que ele esteja concluído até o início de 2021 e o próximo passo será a licitação para duplicação do trecho de 50 km até Mauá da Serra.

Recentemente, a Comissão conseguiu mais um avanço com a licitação para a construção da trincheira Bratislava, na BR 369, em Cambé. Essa é mais uma obra de infraestrutura bastante aguardada para reduzir o número de acidentes e diminuir o congestionamento nos horários de pico. A estimativa para o volume de tráfego diário médio de veículos no local é de quase 20 mil automóveis e mais de 6 mil caminhões

O cruzamento entre a BR-369, a Avenida Brasil e a Estrada da Bratislava está na rota principal do trecho Londrina – Maringá, apresentando tráfego intenso de veículos. Por ali passam também moradores de cidades próximas, como Rolândia, Arapongas ou Ibiporã, que se deslocam para trabalhar. Atualmente a Comissão de Licitação do DER, em Curitiba, analisa a documentação da empresa que foi a primeira arrematante na modalidade de licitação que até então nunca tinha sido feita pelo Paraná: no modelo RDCi, a empresa ou consórcio será contratado para executar dois serviços: os ajustes no projeto de engenharia da obra e execução da trincheira. A modalidade de licitação integrada reduz, pelo menos, seis meses com o processo de mais uma licitação. Com lance de R$13.559.000,00 milhões, 25% menor do que o previsto no edital, a empresa entregou os documentos e aguarda resultado da análise da Comissão de Licitação do DER.

Contorno Norte e Aeroporto

Das obras prioritárias listadas pela Comissão, além da duplicação da PR445 e a Trincheira Bratislava, estão também o Contorno Norte e a modernização e ampliação do Aeroporto de Londrina.  A Comissão também conseguiu fechar 2017 com os projetos dos três trechos do Contorno Norte prontos, e um traçado totalmente diferente do que foi previsto anteriormente. Em pista dupla, com 32 km, o novo projeto se estende alguns quilômetros para se distanciar das áreas urbanas que cresceram, tornando defasado o traçado anterior. Com relação ao Contorno Norte, ações na justiça entre concessionárias e Governo travaram o andamento da execução da obra. Em reunião esse mês, marcada pela deputada federal Luisa Canziani com o Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas e integrantes da Comissão de Desenvolvimento e Infraestrutura do Norte do Paraná, as duas obras estiveram na pauta.

Segundo o ministro, o aeroporto de Londrina foi incluído entre as concessões do Bloco Sul do Programa de Parcerias de Investimentos que prevê investimentos de R$ 400 milhões, distribuídos em obras de expansão da pista de pouso e decolagem e do pátio de aeronaves, construção de pontes de embarque, ampliação do terminal de passageiros e instalação de equipamentos de auxílio a pousos e decolagens. O leilão está previsto para o primeiro trimestre de 2021. O Ministro também confirmou a execução do Contorno Norte de Londrina, como informado anteriormente pelo Governo do Estado dentro do novo pacote de concessão de rodovias.

Nesses três anos, a Comissão chamou secretários de estado, Infraero, DER, SEIL e outros órgãos ligados às obras para as dezoito reuniões realizadas entre os integrantes, além de reuniões com secretários de estado e governadores (três desde a criação da comissão).

Integrantes

Deputado estadual Tiago Amaral

Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) - Fernando Moraes

<Sociedade Rural do Paraná (SRP) - Antônio de Oliveira Sampaio e Afrânio Brandão 

 Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL) - Carlos da  Costa Branco e Brazil Alvim Versoza

Sindimetal Norte do Paraná - Valter Orsi

Sinduscon Paraná Norte -  Sandro Paulo Marques de Nobrega, Gerson Guariente e Rodrigo Zacaria

Grupo Folha de Comunicação - José Nicolás Mejia

Associação das Empresas de Cambé (AEPIC) - Carlos Alberto Feio Ribeiro e Rosinda Stremlow

 Associação Médica de Londrina – Beatriz Tamura                      

OAB Londrina - presidente Vanda Regina Silveira Queiroz (membro a partir de 2019)

CREA - Edgar Matsuo Tsuzuki Gerente Regional (membro a partir de 2019) 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios