Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estrutura já começa a tomar forma na margem brasileira da ponte, que segue dentro do prazo e deve ficar pronta em 2022. Obra é financiada pela margem brasileira da Itaipu.

A primeira das quatro maiores peças da Ponte da Integração Brasil-Paraguai foi posicionada na estrutura, que já começa a tomar forma na margem brasileira da obra, em Foz do Iguaçu (PR), na sexta-feira (17). Com 20 metros de comprimento e 60 toneladas, a viga longarina foi colocada em um local provisório até a chegada da segunda peça, prevista para este sábado (18). Na operação foi utilizado um guindaste alemão com capacidade para içar até 250 toneladas. A previsão é que a instalação das duas vigas em suas posições definitivas aconteça em até dois meses.

A ponte terá quatro grandes vigas longarinas com o mesmo tamanho – duas na margem brasileira do Rio Paraná, duas na margem paraguaia. Além delas, outras 74 vigas menores – de 12 metros e pesando entre 15 e 25 toneladas – formam a estrutura de sustentação da pista de rolamento. Também compõem a estrutura outras 150 vigas transversinas, que são dispostas no sentido transversal, conectando as vigas longarinas de jusante e de montante (da direita e da esquerda da pista de rolamento).

Financiada pela margem brasileira da Itaipu, a obra está sendo construída pelo consórcio Construbase–Cidade–Paulitec e administrada pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) do Paraná. Atualmente, a construção emprega quase 470 trabalhadores.

A ponte vai conectar os dois países pelas cidades de Foz do Iguaçu e Presidente Franco. Até o momento, foram concluídos 26,2% da construção, considerando as frentes nas margens brasileira e paraguaia. No lado brasileiro, toda a mesoestrutura, ou seja, os pilares que sustentam a ponte, já está concluída. Na margem paraguaia, os trabalhos ainda estão na fundação dos pilares. A ponte deve ficar pronta em meados de 2022.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, recebeu com alegria a informação da chegada da primeira das quatro maiores peças da Ponte da Integração. “É uma satisfação muito grande ver um sonho se tornando realidade, dentro do prazo, gerando empregos e trazendo a perspectiva de dias melhores para a gente da região Oeste do Paraná.”

Reconhecimento de Bolsonaro

A segunda ponte sobre o Rio Paraná é uma reivindicação antiga, de brasileiros e paraguaios. As negociações entre o Brasil e o Paraguai começaram em 1992. A pedra fundamental foi finalmente lançada em maio de 2019, pelos presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, em nome da amizade entre Brasil e Paraguai.

Na quinta-feira (16), durante sua tradicional transmissão ao vivo semanal, o presidente Bolsonaro mencionou o trabalho desenvolvido pela diretoria brasileira de Itaipu, que, por meio de uma reforma administrativa, direcionou recursos para obras estruturantes em sua área de influência – como a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, por exemplo.

O presidente ainda lembrou que Itaipu está construindo duas pontes com o Paraguai. Além da Ponte da Integração, financiada pela margem brasileira da empresa, outra, bancada pela margem paraguaia, será construída sobre o Rio Paraguai, entre Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (PY), representando a sonhada ligação entre os oceanos Atlântico (Porto de Santos) e Pacífico (via portos do Chile).

Asimp/Itaipu Binacional

#JornalUnião

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.