Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Gestores públicos de todo o estado podem aderir ao e-Prevenção, plataforma digital criada no âmbito do Programa Nacional de Prevenção à Corrupção, iniciativa que busca oferecer a prefeitos, secretários municipais, presidentes de Câmaras Legislativas, reitores de universidades e demais dirigentes de organizações públicas um novo instrumento para a proteção do patrimônio público. Trata-se de mecanismo que permite que gestores públicos realizem um amplo diagnóstico sobre as estruturas existentes em suas respectivas organizações, indicando-lhes providências para que possam inibir a prática de ilícitos contra o erário. O projeto é coordenado pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) – vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública – e executada pelas Redes de Controle da Gestão Pública, cuja coordenação no Paraná está a cargo do Ministério Público do Paraná.

Plataforma digital

A partir da adesão à iniciativa, os gestores passam a ter acesso à ferramenta que oferece às organizações a oportunidade de se autoavaliarem e verificarem o quanto estão suscetíveis à ocorrência de fraude e corrupção em suas estruturas. O procurador de Justiça Maurício Kalache, coordenador executivo da Rede de Controle da Gestão Pública, destaca que o principal objetivo da ação é incentivar os gestores a adotarem práticas que previnam lesões ao patrimônio público: “O sistema oferece meios para identificação de aspectos que necessitem de aperfeiçoamento para que desvios e ilícitos não sejam cometidos. Com isso, pretende-se que – além das medidas de repressão, muito importantes porque permitem às administrações meios de punirem aqueles que provocam danos ao erário – os gestores possam agir na prevenção aos ilícitos que lesam o patrimônio público”.

A partir do Programa, são recomendadas diversas providências para qualificar a governança pública. Medidas para prevenir conflitos de interesses nas ações administrativas de servidores públicos, escolha adequada do controlador interno, mecanismos para a inibição de fraudes em licitações, existência de código de ética e de um acompanhamento permanente da evolução patrimonial dos servidores são alguns dos aspectos verificados a partir da plataforma. “O que se pretende não é a fiscalização externa desses órgãos, mas dar aos gestores condições de avaliar como suas organizações estão estruturadas para que eles próprios consigam inibir eventuais desvios, com a adoção de mecanismos de prevenção recomendados como boas práticas de gestão ou exigidos em lei ”, completou o procurador de Justiça.

Adesão

Lançado em maio deste ano, o Programa já conta com a adesão de pouco mais de 18 mil organizações públicas de todo o país, pertencentes às três esferas federativas. O Ministério Público do Paraná aderiu à proposta em junho deste ano e desde então tem trabalhado no diagnóstico dos mecanismos próprios para a garantia da preservação do interesse público e da melhor destinação dos recursos da instituição para a proteção do patrimônio público. “A adesão do Ministério Público do Paraná é estratégica, na medida em que dá um bom exemplo e representa um grande incentivo para que outros órgãos públicos também participem”, explica Kalache. As organizações interessadas em saber mais sobre o Programa e manifestar adesão à iniciativa podem entrar em contato com a Rede de Gestão por meio do endereço eletrônico: secretariaexecutiva@rededecontrole.pr.gov.br .

Rede de Gestão

No Paraná, a Rede de Controle da Gestão Pública é integrada por 18 organizações, cabendo a organização executiva ao Ministério Público do Paraná. Para saber mais sobre a Rede e conhecer as instituições que a compõem, acesse: http://www.rededecontrole.pr.gov.br .

Ascom/MPPR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.