Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A aprovação na Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), do Governo Federal, é a primeira etapa para obtenção do financiamento junto ao BID para a construção de escolas de referência em educação profissional e investimentos em tecnologias educacionais no Paraná.

A proposta de financiamento externo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a construção de escolas de referência em educação profissional e investimentos em tecnologias educacionais no Paraná foi aprovada pela Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), do Governo Federal.

A aprovação na Cofiex é a primeira etapa para obtenção de financiamentos externos. O Programa de Educação para o Futuro, da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte prevê investimentos de R$ 500 milhões.

“Foi dado um sinal verde pelo Governo Federal para detalharmos uma proposta junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento. Essa é a etapa mais difícil, então vencemos um obstáculo importante”, explica o chefe do Departamento de Planejamento e Gestão Estratégica, Nicolas Powidayko.

Desafios

O Programa Educação para o Futuro propõe a construção de instituições de referência em educação profissional com capacidade de atendimento de 2 a 3 mil estudantes e um modelo pedagógico inovador, voltado a preparar os jovens paranaenses para os desafios e o mercado de trabalho do século 21.

As instituições terão uma infraestrutura de excelência, com bibliotecas, telecentros, laboratórios de ciências, computação e inovação, quadras poliesportivas, teatro, ateliê e espaços para oficinas. O modelo é semelhante ao adotado por instituições de referência vinculadas ao Serviço Social da Indústria (Sesi).

Além da construção das escolas de referência, o Programa Educação para o Futuro prevê projetos para o fortalecimento da educação profissional e investimentos em tecnologias educacionais e formação docente para toda a rede pública estadual do Paraná.

A ideia é que as escolas sejam espaço de desenvolvimento não apenas para os estudantes, mas também polo de inovação e de desenvolvimento econômico e social para toda a comunidade.

“O programa propõe investir em tecnologias educacionais e construir uma proposta pedagógica que torne a escola mais atrativa aos jovens, contribuindo para elevar a frequência escolar e reduzir o abandono e a evasão, e fortalecer e expandir a educação profissional, ajudando a elevar a empregabilidade dos alunos concluintes”, explica Powidayko.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios