Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Detran-PR já aplicou aproximadamente 30% do total de placas Mercosul do país, conforme dados do Denatran. São cerca de 960 mil veículos com o novo modelo em todo o Brasil. No Paraná, desde a implantação, há dois meses, foram registrados registrou 272.640 placas no novo padrão.

O novo sistema de Placa Mercosul atende a Resolução 729 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). “A medida traz itens de segurança que permitem a melhor rastreabilidade dos veículos, o que dificulta seu uso indevido, como a clonagem”, explica o diretor-geral do Detran-PR, Cesar Kogut.

Mesmo padrão

Para atender a Resolução 729, o Detran-PR publicou a portaria 074/2018 que tornou obrigatória a implantação da placa Mercosul no Estado.

A placa tem o mesmo padrão em todos os países do Mercosul. Tem também um código único com todos os dados de confecção da placa como a identificação do fornecedor e o número de série, data e ano da fabricação da peça. Inclui ainda o modelo do carro.

O sistema deve ser implantado em todo o país até o dia 30 de junho de 2019, porém, não são todos os casos que tem a necessidade de fazer a mudança. Além disso, não há uma data limite para a instalação da nova placa em toda a frota do país.

Confira em quais situações é necessária a adesão ao novo modelo:
Primeiro emplacamento
Aquisição de veículo
Aquisição de veículo com troca de município
Alteração de dados com complementação de placa
Mudança de município
Registro de outro Estado
Troca de categorias
Outros processos que necessitem a substituição de placas.
Não precisa

Segundo o Contran, não haverá a obrigatoriedade de troca de placas para os veículos que já estão em circulação. O que significa que um veículo já emplacado poderá circular com o modelo atual até o fim da vida, se permanecer com o mesmo dono e no mesmo município.

Se o proprietário quiser trocar de placa, poderá procurar o Detran-PR para efetuar o emplacamento.

Uma vez emplacado com a chapa do novo padrão, o veículo poderá permanecer com ela mesmo se mudar de propriedade ou município, pois o novo padrão não traz identificação de cidade e de Estado, como ocorre no modelo atual.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios