Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, na terça-feira (13), a redação final do projeto de lei 577/2020, do deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), que institui o Programa e Incentivo à Utilização da Musicoterapia como Tratamento Terapêutico Complementar de Pessoas com Deficiência, Síndromes e TEA (Transtorno do Espectro Autista). O projeto seguiu para sanção do governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Romanelli afirmou que o projeto oferece uma alternativa de tratamento para pessoas que sofrem com déficit intelectual e cognitivo.  “Com esta nova lei, o Paraná se alia a uma causa nacional, um movimento positivo que já permitiu a aprovação de legislação semelhante em diversos estados do País para a aplicação desta terapia”, destacou.

O deputado salienta que a criação do programa de musicoterapia atende demanda de profissionais que atuam no atendimento de pessoas com deficiência, síndromes e transtornos mentais. Ele pontuou a contribuição da médica Gisele Amin, de Cornélio Procópio, e o trabalho que a Ubam (União Brasileira das Associações de Musicoterapia) faz em favor da valorização do tratamento.

O projeto de lei está amparado em evidências científicas que demonstram eficácia da terapia para tratar diversos transtornos e síndromes, especialmente o autismo, doenças mentais, AVC (acidente vascular cerebral) ou outras lesões encefálicas, além de hipertensos, pessoas com mal de Alzheimer ou outras demências.

Autismo

A musicoterapia, explica o deputado, é um grande estímulo aos autistas. “O transtorno do espectro autista é tratado com excelentes resultados práticos por meio da musicoterapia. É inegável que a música amplia o potencial de interação do ser humano com resultados efetivos e importante procedimento terapêutico”, afirma.

De acordo com Romanelli, o tratamento não trabalha com as limitações da pessoa, mas sempre com a capacidade de cada um. “Daí a importância do uso desta técnica para melhorar a qualidade de vida dos autistas”, informa. “Por meio da mistura de ritmos e melodias, o cérebro humano é estimulado pela música e pelos seus elementos”.

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.