Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Instituto de Tecnologia do Paraná busca contribuir com o fornecimento da vacina contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e pneumonia/meningite. Atualmente, o Ministério da Saúde adquire a vacina  da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), braço da OMS para as Américas.

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) lançou um edital de chamamento público para desenvolver parcerias com empresas farmacêuticas com o objetivo de produzir nacionalmente a vacina pentavalente. Com o edital, o Tecpar busca contribuir com o fornecimento da vacina que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e pneumonia/meningite.

Hoje, apenas seis empresas no mundo contam com a pré-qualificação pela Organização Mundial da Saúde (OMS), processo que garante a qualidade, segurança e eficácia do insumo. Atualmente, o Ministério da Saúde adquire a vacina pentavalente da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), braço da OMS para as Américas.

No entanto, das seis empresas pré-qualificadas na OMS, cinco são de países cujo mercado da saúde não é regulado e, portanto, não possuem registro em órgão regulatório equivalente à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, explica que o processo de chamamento público busca preencher essa lacuna regulatória no País, além de contribuir com a autonomia do parque industrial da saúde brasileiro.

 “Cumprindo seu papel como laboratório público oficial, o Tecpar lança edital para prospectar o mercado em busca de possíveis parceiros para transferência de tecnologia para fabricação e fornecimento de vacina pentavalente, garantindo transparência ao processo”, ressalta Callado.

O planejamento do Tecpar para a produção de vacinas, dentre elas a pentavalente, conta com o projeto, protocolado no Ministério da Saúde, para o desenvolvimento de uma planta multivacinas para atender o Programa Nacional de Imunizações (PNI). A implantação poderá ser viabilizada pelo Ministério da Saúde, como forma de ampliar os fornecedores públicos de vacinas no País e dar mais autonomia no fornecimento ao Brasil.

Pentavalente

A vacina pentavalente protege crianças brasileiras contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e pneumonia/meningite. A vacina foi introduzida no calendário básico do Brasil a partir de setembro de 2012, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de aumentar as coberturas vacinais com a combinação de vacinas em uma mesma aplicação.

A vacina pentavalente é aplicada aos 2, 4 e 6 meses de idade. A partir de 1 ano, o PNI recomenda que as crianças tomem reforços com a vacina tetravalente.

Transferência De Tecnologia

O edital prevê que as empresas interessadas possam participar de três fases: registro sanitário do produto em nome do Tecpar, fornecimento do produto pelo parceiro durante as etapas da transferência de tecnologia e transferência da informação técnica para a fabricação do produto.

Interessados devem enviar sua proposta até o dia 16 de agosto. O edital está disponível pelo link www.tecpar.br/form/chamamento-publico-001-2021.

Asimp/Tecpar

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.