Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Segundo o deputado, a universalização do ensino, com o objetivo de colocar todas as crianças na escola, foi muito positiva, mas a grande necessidade do país hoje chama-se “qualidade na educação”.

Os avanços na qualidade da educação brasileira estão ocorrendo, mas de uma maneira muito lenta, afirma o deputado federal Alex Canziani, presidente da Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional. Em visita à sede do Sistema Ocepar (Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), o parlamentar foi recebido pelo presidente João Paulo Koslovski. “A universalização do ensino, com o objetivo de colocar todas as crianças na escola, foi muito positiva, mas a grande necessidade do país hoje chama-se qualidade na educação. Temos melhorado, mas a velocidade desse avanço precisa aumentar consideravelmente”, avaliou.

Indicadores

De acordo com Canziani, os indicadores brasileiros de educação estão muito abaixo dos níveis de países desenvolvidos. “Alguns dados são muito ruins, com um número elevado de analfabetos funcionais, inclusive de pessoas com curso superior completo, o que é uma barbaridade”, afirmou. Segundo estudo do Instituto Paulo Montenegro e Organização Não Governamental Ação Educativa, 38% dos alunos formados em universidades brasileiras não dominam habilidades básicas de leitura e escrita, ou seja, são analfabetos funcionais. “Se queremos transformar o Brasil num país plenamente desenvolvido precisamos ter uma população educada, com pessoas preparadas para os desafios do mercado de trabalho, cada vez mais tecnológico e informatizado. A educação deveria ser a prioridade absoluta do Brasil”, enfatizou.

Pauta

O deputado conversou com o presidente da Ocepar sobre a pauta de discussões do Congresso no segundo semestre. “Temos várias matérias importantes como a questão do Ato Cooperativo, a própria Lei do Cooperativismo, e o Código Florestal, que preocupam aos produtores e cooperativistas. Faço parte da Frencoop (Frente Parlamentar do Cooperativismo) e vim me colocar à disposição da Ocepar e das cooperativas do Paraná para que possamos avançar nos pontos de interesse do Sistema no Parlamento”, finalizou.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios