Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou ontem (14) que o Brasil já vive, na prática, um cenário de racionamento de energia elétrica.  “Já está havendo racionamento, através do aumento do preço de energia, que mais do que dobrou na última semana”, disse.

Na avaliação do senador, a situação só não é pior por conta do baixo crescimento da economia nacional, o que reduz a demanda por energia.
 
Aécio criticou as políticas do PT para o setor energético. Segundo o tucano, a gestão de Dilma Rousseff é marcada por “intervencionismo” e “viés populista”. Para ele, o excesso de ingerência do governo federal na área inibe investidores.
 
O senador definiu a tentativa do governo Dilma de reduzir os preços com eletricidade – operação que consumiu bilhões em recursos do Tesouro Nacional – como uma ideia mal executada.
 
“O setor está sem capacidade de investimentos e o governo é obrigado - com recursos do Tesouro - a socorrer as empresas, seja de geração ou de distribuição. Todos defendemos a diminuição da conta de luz. Mas isso deveria ter sido feito com a redução dos tributos federais”, disse.
 
Para Aécio, as administrações petistas prejudicaram, por falta de planejamento, “um setor que estava razoavelmente organizado”. O senador destacou que existem hoje, no país, mais de 30 linhas eólicas prontas, que não podem entrar em funcionamento por conta da falta de linhas de transmissão.
 
O senador citou também que o Brasil depende ainda da rede de usinas térmicas construída durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. “As térmicas estão trabalhando ‘full’, no limite, a um custo muito grande”, ressaltou.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios