Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Recém municipalizada, escola comemora participação ativa dos pais e de toda a comunidade, que propiciam o sucesso de diversos projetos propostos

Municipalizada desde o início deste ano, a Escola Municipal Carlos Dietz já tem em seu currículo diversos projetos que contam com a participação efetiva da comunidade. Na próxima segunda-feira (5), os alunos de 3ª e 4ª série fazem a primeira apresentação oficial e uniformizada da fanfarra, que conta com a organização e o trabalho voluntário do pai de um aluno.

Desde o início do mês de junho 15 alunos participam do Projeto Fanfarra. Valdinei Alves, pai do aluno Henrique, da 3ª série C, ensina voluntariamente as crianças todas terças e sábados a tocarem instrumentos de percussão, que foram emprestados pela Polícia Militar para o instrutor. 

Segundo a diretora Vânia Isabeli Talarico Freitas dos Santos, a Associação de Pais e Mestres (APM) também auxiliou na restauração dos instrumentos. “Os pais também se mobilizaram para pagar os uniformes dos participantes, que seguem as cores da bandeira de Londrina, prata e vermelho”, contou. 

Vânia destacou que depois que a escola se tornou municipal, a comunidade têm participado muito dos projetos. “Os pais têm participado em todos os setores, de todos os projetos. Estão sempre aqui, e todas as vezes que organizamos um novo projeto, participam, trazem ideias novas e soluções”, informou.

A diretora também contou que os alunos estão muito empolgados, pois participam da primeira fanfarra organizada por uma escola municipal do município. “Principalmente, neste momento, que é de culminância, eles estão bem ansiosos, pois poderão mostrar para a comunidade o trabalho que eles têm feito no projeto”, enfatizou Vânia.

A fanfarra se apresentará para a comunidade, às 11h e 17h da próxima segunda-feira, na própria escola, localizada na avenida JK, nº 28, na região central.

Outros projetos

Além da fanfarra, a professora Andrea Scomparin desenvolve um projeto de dança com as alunas, que é realizado no horário contraturno, no salão paroquial da Igreja Rainha dos Apóstolos, vizinha da escola e que também colabora com os projetos desenvolvidos. 

Sempre presente nos projetos escolares, a comunidade traz sugestões, opiniões, acompanha o trabalho da equipe pedagógica e confecciona material artesanal, como a mãe da aluna Emanuele do 1º ano B, que confeccionou identificação para todas as salas com o tema “Sitio do Pica Pau Amarelo”. “Esta ajuda que a comunidade oferece à escola valoriza o trabalho dos professores”, enfatizou a diretora da escola.

A preservação do meio ambiente e o incentivo de ações sustentáveis também é projeto da escola, com a participação da comunidade e com a parceria da Big Frango. Os alunos trazem óleo de cozinha usado para o ecoponto instalado na escola, propiciando sua reciclagem, e evitando que estes resíduos poluam o meio ambiente.

(Ncom_PML)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios