Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Temas como sustentabilidade, reciclagem e uso correto dos recursos naturais, por exemplo, colocam o curso de Gestão Ambiental em voga na atualidade. Ações conjuntas como o plantio de 25 mil mudas de árvores em todo o país, neste dia 15, valorizam o ensino a distância (EaD) e atraem milhares de interessados em todo Brasil.

O curso é recente e vem ganhando espaço a cada ano, além do fato de estar cotado como uma das profissões mais importantes no futuro. O que o torna tão atrativo na modalidade a distância é o fato de proporcionar ao acadêmico uma preparação diferenciada para o mercado de trabalho.

Para o coordenador do curso de Gestão Ambiental da Unopar, professor Ewerton de Oliveira Pires, a liberdade do aluno em cursá-lo em horários diferenciados e a um preço mais acessível favorece a difusão do curso na modalidade a distância, mas é no preparo para o mercado de trabalho que o curso se sobressai.” Antigamente quando se falava em EaD não se tinha a idéia de expandir para cursos mais práticos, mas esse foi mais um mito desmitificado pelo EaD.Vejo o profissional egresso preparado e antenado para o que o mercado exige. O foco é voltado para o cotidiano, para o que o mercado precisa. Esse é o diferencial na formação, e o que tem colocado nossos egressos no mercado de trabalho”, completa.

Desenvolvimento e meio ambiente devem caminhar juntos e esse conceito ganhou força nos últimos anos. A preservação e a recuperação da natureza são vistas como prioridade nos dias de hoje. Motivada pela própria condição de existência humana para as gerações futuras, hoje já se fala com naturalidade sobre projetos sustentáveis. E nesse sentido, cada vez mais se faz necessário a presença de um profissional com formação adequada para atuar como gestor em empresas, instituições, desenvolvendo pesquisas, projetos ou atuando em organizações não governamentais.

Segundo Pires, o próprio mercado de trabalho justifica a grande procura pelo curso. “Hoje em dia, pela legislação vigente, existe uma preocupação maior com o meio ambiente, existe uma demanda significativa para esse profissional atuar”, explica.

Outro diferencial no formato EaD são as ações intensificadas pela participação em conjunto e a adesão de alunos de outras cidades.         “No caso do EaD são diversos polos distribuídos pelo Brasil que possuem turmas do mesmo curso e caminham em sintonia. O aprendizado e a troca de informações é muito mais proveitoso e interativo”, completa Pires.

Ele comenta que existe uma preocupação da Universidade em oferecer um ensino de qualidade que trabalhe também com ações de extensão, proporcionando aos alunos experiências diretas de compensação ambiental para minimizar danos ao meio ambiente.

Essa interação proporciona ações como a do próximo dia 15, em que os polos da Unopar realizarão o plantio de mudas de árvores nativas com o objetivo de compensar ambientalmente a demanda gerada pela impressão de livros didáticos e a implementação de bibliotecas físicas nos polos. A meta estipulada é de que sejam plantadas 25 mil mudas em todo o país. Além da experiência que os alunos terão a oportunidade de vivenciar as atividades serão computadas como complementares.

(Susan Cruz/Asimp/Unopar)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios