Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN

O governo do Estado lançou um programa para preservar e restaurar o patrimônio histórico e cultural de escolas da rede pública estadual. O programa vai atender inicialmente 13 estabelecimentos, nos municípios de Curitiba, Paranaguá, Antonina, Lapa e Ponta Grossa. Ontem (31), o governador em exercício Flávio Arns assinou o decreto que instituiu um grupo de trabalho responsável por estruturar o Programa de Proteção, Valorização, Preservação e Restauração das Escolas da Rede Pública Estadual. 

O grupo é formado por representantes da Vice-Governadoria, das secretarias de Estado da Educação, Cultura, Administração e Previdência, Ciência e Tecnologia e da Agência de Fomento Paraná. Eles vão propor e desenvolver ações relacionadas a toda a estrutura material e imaterial dos estabelecimentos classificados como de interesse histórico e cultural.

Os 13 estabelecimentos classificados como prioritários são tombados pelo patrimônio cultural ou estão inseridos em áreas de tombamento. A estimativa é investir R$ 7.003.769,36 em projetos de restauração para essas escolas. Também serão atendidos pelas ações do grupo estabelecimentos de ensino que tenham importância histórica e cultural para os municípios em que estão inseridos. 

O governador em exercício, que também é secretário de Estado da Educação licenciado, afirmou durante a solenidade, realizada no Colégio Estadual do Paraná, que a educação deve ser prioridade de qualquer governo e não deve excluir a preservação da memória. “O valor destinado a este projeto não é uma despesa, e sim um investimento para o Estado”, disse. “É de extrema importância que a comunidade compreenda a necessidade deste trabalho, que possibilitará que as futuras gerações não esqueçam o passado.”

O secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana, disse que todas as escolas do Paraná têm história, mas que algumas delas têm características que requerem um esforço para a preservação. “O programa é resultado do reconhecimento da importância da preservação do patrimônio cultural e dos acervos dos estabelecimentos públicos estaduais de ensino”, afirmou Viapiana.

“Hoje é, sem dúvida, um marco para a educação paranaense”, disse Laureci Schmitz Rauth, diretora do Colégio Estadual do Paraná, de Curitiba, que é um dos 13 estabelecimentos incluídos no programa. “O Colégio Estadual do Paraná, que é considerado uma referência para a educação e por onde já passaram importantes nomes da sociedade paranaense, passará a ser tratado com a importância que merece”, afirmou.

Os projetos que definirão os tipos de intervenções a serem feitas em cada um dos estabelecimentos, bem como o seu custo, serão definidos pelo grupo de trabalho após a identificação e classificação das instituições de ensino.

Colégio Estadual

Entre os estabelecimentos de ensino considerados prioritários estão o Colégio Estadual do Paraná, criado em 1864 como Liceu de Curitiba, época em que o Paraná ainda era considerado província de São Paulo. Em 1950 foi inaugurado o atual prédio, pelo então presidente da República, general Eurico Gaspar Dutra, e pelo ministro da Educação e Cultura, professor Clemente Mariani. 

No ano seguinte, em 1951, foi inaugurada a área desportiva do colégio, com piscinas, ginásio, pista e campo. A proposta é transformar o Colégio Estadual do Paraná no primeiro estabelecimento de ensino totalmente sustentável sob os aspectos cultural, ambiental, energético e acessibilidade.

Participaram da solenidade o presidente da Agência de Fomento, Juraci Barbosa Sobrinho; o diretor-geral da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Sergio de Jesus; a diretora-geral da Secretaria de Administração e Previdência, Solange Mattiello; o superintendente de Desenvolvimento Educacional Jaime Sunye Neto; a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Roberta Storelli; o presidente do Conselho Estadual de Educação, Oscar Alves; e a presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Estadual do Paraná, Paula Kekes.

Abaixo a lista dos 13 estabelecimentos da rede estadual tombados pelo Patrimônio Cultural do Estado e considerados prioritários pelo programa.
PARANAGUÁ – INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DR. CAETANO M. DA ROCHA, ESCOLA ESTADUAL FARIA SOBRINHO.
ANTONINA – COLÉGIO ESTADUAL BRASÍLIO MACHADO, COLÉGIO ESTADUAL MOYSES LUPION, COLÉGIO ESTADUAL ROCHA POMBO.
CURITIBA – INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ PROF. ERASMO PILOTO, COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ, COLÉGIO ESTADUAL XAVIER DA SILVA, COLÉGIO ESTADUAL TIRADENTES, ESCOLA ESTADUAL PEDRO II, GRUPO ESCOLAR CRUZ MACHADO.
PONTA GROSSA – COLÉGIO ESTADUAL REGENTE FEIJÓ.
LAPA – COLÉGIO ESTADUAL SÃO JOSÉ.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios