Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN

As universidades estaduais e o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) receberão R$ 15,8 milhões, do Fundo Paraná, para investimentos em infraestrutura e pesquisas. Os convênios foram assinados na Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, na terça-feira (15) e nesta quarta-feira (16). O secretário Alípio Leal destacou que os recursos são fundamentais para melhorar o desempenho do ensino, em todos os níveis. 

“Também são reforço às atividades de pesquisa e inovação, possibilitando que as metas de governo sejam cumpridas”, afirmou Leal. As universidades vão receber, já a partir da próxima semana, R$ 12,8 milhões do Fundo Paraná, para aplicação em 12 projetos de pesquisa e para melhorar a infraestrutura. 

O Fundo Paraná vai proporcionar melhorias na Clínica Veterinária de Grandes Animais da Unicentro; e a conclusão do bloco administrativo do campus Toledo, da Unioeste, que também vai construir instalações para o Instituto de Pesquisa em Aquicultura Ambiental. 

Na Universidade Estadual de Londrina, serão construídas a Clínica Odontológica Universitária e a Clínica de Especialidades Infantis. Os recursos também serão usados como contrapartida em projetos de implantação e consolidação de infraestrutura de pesquisa. 

PESQUISA – Na Universidade Estadual do Norte do Paraná, será montado um núcleo de estudos de agroecologia, que inclui capacitação continuada de professores da educação básica e a expansão do Programa Paranaense de Certificação de Produtores Orgânicos. 

O projeto do Iapar “Produção de Sementes Genéticas e Básicas para o Desenvolvimento da Agropecuária Paranaense” receberá R$ 3 milhões. Para o diretor-presidente do Iapar, Florindo Dalberto, o projeto possibilita a modernização do sistema agropecuário. “Com os investimentos realizados será possível dar as respostas para alcançar as metas de governo, com a promoção da inovação, com sustentabilidade”, disse. 

RECURSOS – O Fundo Paraná apoia programas e projetos de pesquisas institucionais, vinculados ao desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, que atendam aos critérios e normas definidas na Política Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PDCT). O Fundo Paraná é administrado pela unidade gestora, vinculada à Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. 

O fundo é formado por 2% da receita tributária estadual. Por lei, os recursos são distribuídos até o limite de 50%, a programas e projetos estratégicos de órgãos e entidades públicas e privadas. Do restante, até 30% são aplicados na Fundação Araucária, para o fomento a projetos individuais de pesquisa científica, à formação de recursos humanos e à instalação de instituições científicas públicas e privadas; e até 20% são aplicados no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para a certificação de produtos e o apoio a projetos de desenvolvimento tecnológico. 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios