Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa abriu o ano letivo da rede pública estadual, ontem (8), com a inauguração de uma escola de ensino integral no município de Nova Santa Bárbara, no Norte do Estado. De acordo com o governador, a meta é implantar, até dezembro, educação em tempo integral em 300 municípios paranaenses. Richa também assinou uma ordem de serviço para a construção de uma escola profissionalizante em Assaí.
“A educação é prioridade absoluta do nosso governo. Quando a educação avança os outros setores avançam na mesma proporção. É a emancipação humana e social e construção da cidadania. No ano passado, fizemos investimentos consistentes, o que garantirá um bom ano letivo”, afirmou o governador.
A escola inaugurada em Nova Santa Bárbara foi construída em parceria entre o governo estadual – que investiu cerca de R$ 2,1 milhões – e a prefeitura, que entrou com R$ 800 mil. O governador destacou a importância do ensino integral para a formação dos estudantes, tanto no aspecto pedagógico quanto de cidadania.
O secretário de Educação, Flávio Arns, disse que a perspectiva para o ano escolar é muito boa, principalmente pelo reforço realizado pelo governo estadual. “Investimos para que os alunos tenham espaços de qualidade para aprender”, explicou o secretário. Ele destacou avanços no transporte escolar, merenda e reforma de 500 escolas em 2011.
Arns informou que o governo estadual contratou aproximadamente 17 mil profissionais para a educação desde o ano passado. Desse total, 9,5 mil são professores e pedagogos. Funcionários foram contratados considerando o porte das escolas. O secretário reforçou o propósito do governo de ampliar os espaços de educação em tempo integral ao longo do ano.
O prefeito de Nova Santa Bárbara, Claudemir Valério, classificou a construção da Escola Municipal de Ensino Integral Edson Gonçalves Palhano como momento histórico. “Estamos trabalhando para tornar todo o ensino municipal em tempo integral. Essa escola tem uma estrutura moderna e que irá melhorar a qualidade do ensino”, afirmou. Ele também assinou um documento repassando terreno para que a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) construa 41 unidades habitacionais na cidade.
A nova escola terá educação infantil, projeto de contraturno escolar, educação especial e ensino fundamental. A unidade conta com área administrativa, refeitório, cozinha, quadra coberta, sala de informática, entre outras dependências. A construção tem 2,7 mil metros quadrados.
Para a diretora da unidade, Adélia Madalena Ferreira, as novas instalações contribuirão para que a escola ofereça um ensino de qualidade e bem organizado. “Com ensino em tempo integral vamos oferecer uma complementação ao estudante, que será preparado para a vida”, disse ela. A diretora explicou que a escola municipal compartilhava o prédio com um colégio estadual. “Esse problema acabou, temos agora nosso espaço”, disse.
Profissionalizante

A escola profissionalizante em Assaí terá investimento de R$ 6,6 milhões e 6.500 metros quadrados de área construída. Serão 12 salas e quatro laboratórios para atender a 840 alunos no período diurno e 420 no horário noturno. O prazo de execução é de um ano.
A construção da escola faz parte do pacote de R$ 126 milhões lançado pelo governo, em junho do ano passado, para construção, reforma e reparos de escolas da rede estadual. Está prevista a construção de escolas profissionalizantes em Cianorte, Ibaiti e Fazenda Rio Grande, cada uma delas no valor de R$ 7 milhões, além de obras de ampliação nas unidades de Palmeira, Foz do Iguaçu e Castro.
Volta às aulas

Cerca de 1,3 milhão de estudantes das 2,2 mil instituições de ensino da rede pública estadual iniciem as atividades escolares nesta quarta-feira. Para garantir que a volta às aulas ocorra com tranquilidade, a Secretaria de Educação adotou diversas ações. A distribuição de aulas aos professores, que ocorria no fim de janeiro, foi feita antes das férias, em dezembro – inclusive para os 9.516 docentes nomeados pelo governador no fim do mês passado.
O ano escolar também começa com menos alunos por turma. A resolução 4.527, assinada em outubro e que determina o tamanho das turmas, começa a vigorar a partir deste ano, com implantação gradativa até 2014. No ensino fundamental, as turmas – que pela resolução anterior podiam ter até 40 alunos – terão no máximo 30 nas 5.ª e 6.ª séries, e até 35 nas 7.ª e 8.ª séries. No ensino médio, o número máximo de alunos foi reduzido de 45 para 40.

(AEN)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios