Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN/PR

O Programa Estadual de Alimentação Escolar, que atende 1,3 milhão de estudantes da rede de ensino do Paraná, terá R$ 132 milhões para a compra de alimentos. O volume de recursos é 22% maior que os R$ 108 milhões destinados para a aquisição de produtos para a merenda em 2011. O governo também ampliou o número de estabelecimentos atendidos de 2.236 para 3.553. 

O governador Beto Richa autorizou a abertura de cinco processos licitatórios na modalidade de pregão eletrônico. Serão adquiridos 78 itens. Além dos tradicionais, estão incluídos na compra biscoito em embalagem individual, macarrão de arroz, farinha láctea, doce de leite, canjica pré-cozida, além de mistura para preparo de mingau e purê de batata. 

A intenção do governo é reduzir o consumo de carne enlatada. Para isso, licitou a compra de produtos congelados, como salsicha de ave, filé de tilápia, empanado de peixe, carne moída e almôndega bovina. "A melhoria da qualidade da merenda vai proporcionar um melhor aprendizado e beneficiar a saúde dos alunos ", afirmou Richa, ressaltando o esforço do governo em melhorar toda a infraestrutura da rede estadual de ensino. 

O governo estadual segue as diretrizes operacionais e nutricionais estabelecidas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com o intuito de fornecer uma refeição diária que atenda 20% das necessidades nutricionais dos alunos. Desta forma, os cardápios e alimentos que compõem a merenda escolar proporcionam uma alimentação balanceada. 

O secretário da Educação, Flávio Arns, destacou o compromisso com a qualidade dos alimentos e informou que a secretaria propõe também às prefeituras a organização de uma rede de abastecimento local para compra de alimentos para a merenda escolar. “São produtos de qualidade e de aceitabilidade comprovada, que contribuem para o desenvolvimento saudável dos alunos. O objetivo é melhorar a forma de aprendizado e manter o estudante no colégio”, disse Arns. 

DISTRIBUIÇÃO - Os produtos serão distribuídos para os colégios em quatro remessas até o primeiro semestre do próximo ano. Antes de serem encaminhados às unidades de ensino, os alimentos serão submetidos ao Controle de Qualidade Laboratorial do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). Além da merenda fornecida pelo governo, as escolas recebem recursos para a complementação dos cardápios. 

De acordo com Arns, a intenção é diversificar ainda mais a alimentação escolar. Ele citou como exemplo a aquisição de produtos comprados da agricultura familiar para a merenda. Essa compra leva em consideração a oferta da produção regional. "Vamos enriquecer a alimentação escolar com vitaminas, sais minerais e fibras", afirmou. 

ORGÂNICOS - O Paraná foi o primeiro estado a cumprir a legislação federal que destina 30% dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) à compra de produtos diretamente da agricultura familiar. Agora a meta da Secretaria da Educação é que os pequenos produtores passem a ofertar mais produtos orgânicos. 

O Estado triplicou a quantidade de escolas que oferecem alimentos orgânicos na merenda dos alunos. No ano passado, 140 escolas, em 24 municípios, tinham produtos orgânicos na merenda dos alunos. O número passou para 414 escolas em 68 municípios, até agora. A quantidade de alimentos orgânicos oferecidos aumentou de nove toneladas para 660 toneladas.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios