Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Frente Parlamentar da Educação, presidida por Canziani, realizou palestra sobre o tema. Governo quer aplicar R$ 1,4 bilhão até o final deste ano para a ampliação do ensino em tempo integral.

Asimp/Alex Canziani

Metade das escolas brasileiras deve ser de período integral em duas décadas. A afirmação é da professora e diretora de Currículos e Educação Integral da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação, Jaqueline Moll. A professora proferiu uma palestra para a Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional, em Brasília, quando falou sobre a “Construção da Política de Educação Integral em Tempo Integral no Brasil”.

Jaqueline Moll refirmou que o governo vai aplicar mais de R$ 1,4 bilhão até o final deste ano para a ampliação do ensino em tempo integral nas escolas públicas. Ela destacou a pretensão do MEC de ultrapassar os objetivos. “Estamos trabalhando para superar a meta, mas para conseguirmos viabilizar mudanças tão profundas no nosso ensino temos que pensar em 20 anos. Serão necessárias mudanças profundas para adaptarmos as nossas escolas para aulas o dia inteiro com todos os estudantes”, salientou.

Hoje 32 mil escolas já oferecem aulas e atividades em tempo integral aos alunos. Apesar das divergências quanto às metas da oferta de ensino nos dois turnos, há consenso quanto aos benefícios desse tipo de ensino. Segundo Jaqueline, os índices de aprovação aumentam significativamente no grupo que participa de atividades escolares pela manhã e pela tarde. As taxas de evasão escolar também são menores. “Ainda temos alguns desafios pela frente, como a integração do currículo, melhoria da infraestrutura escolar, formação pedagógica diferenciada dos professores, articulação das escolas com a comunidade, mas os ganhos são visíveis nesse grupo e podem melhorar.”

Para o presidente da Frente Parlamentar da Educação, deputado Alex Canziani (PTB-PR), a ampliação do ensino integral deve ter impacto direto na nota das escolas no Ideb: “Sem dúvida o aumento do tempo na escola representa um ganho importante para a melhoria da qualidade do ensino no país, que vai se refletir nos índices educacionais”, acredita o deputado da educação.

Além de ressaltar a relevância da ampliação do ensino em tempo integral, Canziani também afirmou que o tema vem ganhando força na agenda política. “As próprias campanhas eleitorais deste ano mostram isso, já que diversos candidatos a prefeitos têm se comprometido com o tema”, disse o parlamentar paranaense.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios