Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Redação Jornal União

Professores de 31 universidades federais, um instituto e um Centro de Educação Tecnológica, ambos federais, entraram em greve ontem (17) por tempo indeterminado, de acordo com a Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN).

Os docentes pedem a estruturação do plano de carreira, melhoria nas condições de trabalho nos novos campi criados pelo Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) e incorporação das gratificações.

Segundo a nota emitida ontem (17) pelo Ministério da Educação, o reajuste salarial de 4%, a partir de março deste ano, foi acertado, mas houve atraso devido a lenta tramitação do projeto de lei. Diante disso, o ministro Aloizio Mercadante interferiu no procedimento para retirar o PL e transformá-lo em uma Medida Provisória. No último dia 11, sexta-feira, a presidente Dilma Russeff assinou a MP assegurando o rajuste de 4% retroativo ao mês de março.

“Com relação ao plano de carreira, a negociação prevê sua aplicação em 2013. Os recursos devem ser definidos na LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] até agosto deste ano, o que significa que temos tempo. As negociações entre o Ministério do Planejamento e as representações sindicais seguem abertas”, comentou o MEC.

De acordo com Aloisio Porto, do Comando de Greve da Andes, o atual plano de carreiras não permite um crescimento satisfatório do professor ao longo da carreira. “Hoje para chegar no teto da carreira ele levaria quase 30 anos”.

A Andes-SN recebeu, ainda ontem (17), notas de solidariedade à greve. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande aprovou uma moção de apoio à greve pela “justeza da pauta de reivindicação dos docentes”. O coletivo de estudantes “Vamos à Luta”, grupo de oposição de esquerda dentro da UNE (União Nacional dos Estudantes), e um grupo de diretórios acadêmicos da Universidade Federal Rural de Pernambuco (Ufrpe) também demonstraram apoio.

Lista das Universidades em greve: 

Universidade Federal do Amazonas (ADUA)

Universidade Federal de Roraima (SESDUF-RR)

Universidade Federal Rural do Amazonas (ADUFRA)

Universidade Federal do Pará /Central (ADUFPA)

Universidade Federal do Pará /Marabá (SINDUFPA-MAR)

Universidade Federal do Oeste do Pará (SINDUFOPA)

Universidade Federal do Amapá (SINDUNIFAP)

Universidade Federal do Maranhão (APRUMA)

Universidade Federal do Piauí (ADUFPI)

Universidade Federal do Semi-Árido (Mossoró) (ADUFESA)

Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB)

Universidade Federal de Campina Grande / Patos (ADUFCG-PATOS)

Universidade Federal da Campina Grande / Cajazeiras (ADUC)

Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG)

Universidade Federal Rural de Pernambuco (ADUFERPE)

Universidade Federal de Alagoas (ADUFAL)

Universidade Federal de Sergipe (ADUFS)

Universidade Federal do Triângulo Mineiro (ADFMTM)

Universidade Federal de Uberlândia (ADUFU)

Universidade Federal de Viçosa (ASPUV)

Universidade Federal de Lavras (ADUFLA)

Universidade Federal de Ouro Preto (ADUFOP)

Universidade Federal de São João Del Rey (ADFUNREI)

Universidade Federal do Espírito Santo (ADUFES)

Universidade Federal do Paraná (APUFPR)

Universidade Federal do Rio Grande (APROFURG)

Universidade Federal do Mato Grosso (ADUFMAT)

Universidade Federal do Mato Grosso / Rondonópolis (ADUFMAT-ROO)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (ADUR-RJ)

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (SINDFAFEID)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (SINDUTF-PR)

Instituto Federal do Piauí (SINDCEFET-PI)

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (SINDCEFET-MG)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios