Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado Luiz Carlos Hauly (PR) condenou ontem (16) a insistência do governo petista em manter regras do Programa Mais Médicos que desfavorecem os profissionais de saúde cubanos. “É inaceitável. Um país que prima pelos direitos humanos como o Brasil não deveria aceitar essa injustiça contra esses médicos cubanos”, afirmou. “O PSDB protesta e repudia essa atitude desumana”, acrescentou.

Na quinta-feira (15), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou a ampliação do programa. Atualmente, o Mais Médicos conta com 14.462 profissionais - 79% deles são da ilha caribenha. Perguntado se os cubanos continuarão a ganhar menos, já que parte dos seus vencimentos fica com o governo de Raúl Castro, o titular da pasta afirmou que eles são profissionais convocados para uma “missão de cooperação, em situação especial”. “Não significa que eles ganham mais ou ganham menos, mas que ganham diferente”, arrematou Chioro.

A “situação especial” a que se referiu o ministro da Saúde é resultado de um controverso acordo firmado pelo Palácio do Planalto com o regime cubano por meio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Pelo contrato, o governo brasileiro repassa à Opas mais de R$ 10 mil mensais por médico cubano. O dinheiro vai para uma empresa ligada ao Ministério da Saúde de Cuba, que faz o pagamento dos profissionais. Os cubanos recebem, por mês, um pouco mais de US$ 1 mil, mas só podem usar US$ 400 no Brasil. “Essa é uma das incongruências mais injustas”, criticou Hauly.

Amizade acima de tudo

Desde que assumiu a Presidência, Dilma Rousseff tem se empenhado em favorecer o regime castrista. Apoiada integralmente pelo PT, ela viabilizou, por exemplo, a modernização do porto de Mariel por meio de um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A instituição desembolsou US$ 682 milhões, o correspondente a dois terços do valor total da obra, US$ 957 milhões, que foi inaugurada no início de 2014. Localizado no oeste de Cuba, a 45 quilômetros da capital Havana, o empreendimento custou 15 vezes mais do que o total aplicado pelo governo nos portos brasileiros em 2013.

Em julho do ano passado, a petista deu mais uma demonstração de apreço ao regime. Dilma atendeu a um pedido de Raúl Castro e o recebeu, como hóspede, na Granja do Torto, residência de campo da Presidência da República.

(psdbnacamara.com)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios