Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse hoje (16) que a América Latina tem uma “dívida histórica” com a educação e que os países devem trabalhar juntos para melhorar a oferta do ensino. Ele participou do lançamento da Rede Latinoamericana de Organizações da Sociedade Civil pela Educação.

O grupo, formado por entidades de 13 países da região, pretende traçar estratégias de mobilização para a melhoria da educação latinoamericana e formar um banco de experiências em políticas públicas que tiveram bons resultados.

“Nós temos que ter a convicção de que podemos sair dessa situação de inércia que marcou todo o século 20, sobretudo no que diz respeito à qualidade, e avançarmos juntos em um projeto para um continente que dá atenção ao conhecimento e ao direito das crianças de se desenvolver plenamente”, defendeu Haddad.

Dos grupos que compõem a rede, metade é formada por empresários de seus respectivos países e o restante é constituído por diferentes setores da sociedade civil. Entre os princípios incluídos na carta de lançamento da rede está  alcançar “uma relação construtiva entre o setor público e o privado por meio do diálogo e de propostas de ações positivas”.

O representante brasileiro é o movimento Todos pela Educação. A iniciativa é apoiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

(Agência Brasil)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios