Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Governo do Paraná retomou nesta semana as atividades esportivas em contraturno em 208 escolas da rede pública de ensino. O programa Segundo Tempo é promovido em parceria com o governo federal e beneficiará cerca de 20 mil crianças e adolescentes, com prioridade para bairros e municípios mais carentes. Como parte do programa, o governador em exercício Flávio Arns entregou nesta segunda-feira (29) materiais esportivos e uniformes para alunos da Escola Estadual Francisco Zardo, em Curitiba. 

O governo fez ajustes no convênio com o Ministério do Esporte para a retomada das atividades, que estavam suspensas desde janeiro. A intenção é oferecer aos alunos a oportunidade da prática esportiva com acompanhamento adequado e profissional, de forma a promover o desenvolvimento integral dos estudantes como fator de promoção da cidadania e melhoria da qualidade de vida. 

“É fundamental que os estudantes tenham uma atividade no contraturno e ampliem o tempo passado nas escolas. O esporte é um elemento formador da personalidade, que ajuda nas amizades e no desenvolvimento pessoal”, disse o governador em exercício. Ele lembrou que o governo também investe na área por meio do TOP 2016, programa do Estado que concede bolsa-esporte de R$ 500 para 250 jovens atletas com potencial para atividades esportivas. 

Flávio Arns, que também é secretário de Educação, disse que o Segundo Tempo é mais uma das parcerias que o governo tem feito para ampliar a oferta de atividades complementares e o tempo de permanência dos estudantes na escola. “O programa promove a inclusão social. O esporte faz que os estudantes se envolvam na sociedade e pode afastá-los das drogas”, disse Arns. A rede estadual de ensino do Paraná é composta por 2,2 mil escolas e atende cerca de 1,3 milhão de estudantes da educação básica. 

PARCERIA – Pelo convênio assinado, o governo estadual se compromete a ceder as escolas, 208 professores e fornecer lanche para os alunos. O governo federal ficará responsável pela aquisição dos materiais esportivos, dos uniformes e pela contratação de 208 monitores – acadêmicos de educação física –, que estão sendo selecionados pelo Paraná Esporte. O documento tem vigência de um ano, com alternativa de prorrogação. 

A seleção dos alunos beneficiados será feita pelas escolas, levando em consideração a situação socioeconômica dos alunos e a freqüência às aulas. A duração das atividades esportivas é de 6 horas por semana, que podem ser distribuídas em períodos de duas horas, três vezes por semana, ou de três horas, duas vezes por semana. Em cada escola serão oferecidas duas modalidades esportivas coletivas e uma individual que serão escolhidas pelos alunos e professores, sendo obrigatória a participação nas três. 

O secretário de Esporte do Paraná, Evandro Rogério Roman, afirma que, o programa foi aprimorado para esta nova etapa. “Encontramos um projeto inseguro. Várias escolas não tinham condições materiais e físicas de oferecer esporte de maneira adequada”, destacou Roman, que foi a Brasília três vezes este ano para ajustar o programa. “O Segundo Tempo agora é uma ação organizada e adequada”, afirmou. 

O PROGRAMA – No Paraná, o Segundo Tempo começou a ser executado em 2004, por meio de parcerias do governo federal com o governo estadual, prefeituras, associações municipais e universidades. Por fatores diversos, no entanto, muitas dessas parcerias foram suspensas. No caso do governo do Estado, houve um ajustamento do convênio, que permitiu a retomada das atividades. 

Esse ajuste não reduziu o número de municípios e de escolas beneficiados, mas alterou a quantidade de alunos contemplados por escola, de 200 para 100. Em contrapartida, a duração das atividades foi ampliada. “Agora vamos atender e atender melhor nossos alunos” disse Evandro Rogério Roman. 

CONTRATURNO – Para o professor de educação física Cássio Trevisam, da Escola Estadual Francisco Zardo, é fundamental que as atividades no contraturno sejam ampliadas para que os alunos tenham opções para evitar o uso de drogas. “Este é um programa com impactos positivos, que vai estimular a prática esportiva, os vínculos com as escolas e o desempenho escolar dos participantes”, disse o professor. 

As alunas Eduarda Carneiro e Lúcia de Oliveira, ambas de 16 anos, estudam na sexta série do ensino fundamental e irão praticar três modalidades de esporte: futebol, vôlei e basquete. “Gosto muito de vôlei. Praticando esporte tenho contato com amigos e ainda treino para atuar profissionalmente”, disse Eduarda. Para Lúcia, o esporte vai ajudar no desempenho escolar e permitirá ocupar melhor o tempo: “Agora não fico em casa sem nada para fazer. Posso jogar uma coisa que gosto muito”.

(AEN/PR)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios