Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN

O governador Beto Richa autorizou na segunda-feira (18) um convênio entre o Estado e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPr) que permitirá a criação dos cursos de engenharia mecânica, química e da produção em Londrina. Pelo acordo, a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior vai repassar R$ 3,8 milhões para UTFPr implantar as faculdades. 

Para Richa, a confirmação dos novos cursos de engenharia era um compromisso assumido com a comunidade e lideranças da região de Londrina. “Esta era uma reivindicação antiga e estamos garantindo novos caminhos para estimular o desenvolvimento regional. Através desta parceria vamos oferecer novas opções de formação para jovens e mão de obra qualificada para as empresas do norte do Estado”, disse o governador. 

O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal explica que os cursos não podem ser instalados na Universidade Estadual de Londrina (UEL) por conta da impossibilidade de contratação de professores e funcionários. Ele afirmou que a folha de pagamentos do Estado já está no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. “Por isso, a parceria com uma instituição federal, que tem reconhecida capacidade. O importante é que estamos assegurando a um ensino de excelência”, disse. 

Os recursos repassados agora serão destinados à compra de área para construção das instalações no campus que a UTFPR já mantém em Londrina. O reitor da instituição, Carlos Eduardo Cantarelli, acredita que os cursos possam começar já em 2013, dependendo do andamento das obras. O número de vagas para cada curso ainda está em discussão, com apoio dos deputados federais Alex Canziani, Luiz Carlos Hauly e André Vargas. A UTFPR também está implantando outros três cursos de engenharia em Apucarana – Civil, Elétrica e Química. 

Incubadora

O secretário Alípio Leal assinou também convênio com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná para ampliação da Incubadora de Inovações Tecnológicas no campus de Cornélio Procópio. Dos 300 metros atuais de área construída e oito empresas instaladas, a incubadora passará para 1,3 mil metros de área para abrigar 30 empresas. O repasse é de R$ 594 mil. 

O diretor do campus, Devanil Antonio Francisco, diz que a ampliação da estrutura vai integrar a base do Pólo Tecnológico do Norte Pioneiro, que está em formação. A proposta é de atendimento à região, para apoiar projetos de tecnologia e inovações tecnológicas, infraestrutura necessária ao desenvolvimento econômico. De acordo com o reitor da UTFPR, o governo atual percebeu a importância das instituições de ensino superior no desenvolvimento do estado. 

Até pouco tempo atrás, segundo ele, “parecia” que as instituições competiam entre si. Havia pouco diálogo na busca de recursos para apoiar um projeto sustentável para o Brasil, avalia. “Encontramos o diálogo neste governo”, afirma. A UTFPR tem 12 campi no Paraná, provavelmente o maior número entre as universidades federais.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios