Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A presidente Dilma Rousseff lançou o programa “Ciência sem Fronteiras”. Através do programa serão selecionados, até o fim deste ano, 16.300 alunos que irão aprimorar os estudos em universidades fora do país. Segundo a presidente, o “Ciência sem Fronteira” é um dos programas mais importantes do seu governo e a meta é levar 101 mil estudantes para estudar no exterior até 2014. Ainda de acordo com a presidente, o programa vai dar oportunidade para estudantes nas melhores universidades do mundo. Eles vão ter contato com o que há de mais avançado em ciência e tecnologia.

Para o presidente da Frente Parlamentar da Educação, deputado Alex Canziani (PTB-PR), o programa fará a diferença quando estes jovens entrarem no mercado de trabalho. “Precisamos sim criar oportunidades para que nossos jovens tenham contato com outras culturas. Isto será um diferencial nos seus currículos escolares, o que deve abrir portas quando estes estiverem disputando uma vaga no mercado de trabalho. Estamos certos de que conhecimento nunca é demais e estudar em outro país é adquirir experiência, que ainda é restrita no Brasil. Por isso este programa Ciência sem Fronteira chega para tentar corrigir mais este entrave para alcançarmos uma educação de qualidade para todos”, destacou o deputado da educação. Atualmente há quase 3.700 pessoas estudando no exterior. Até junho serão mais 6 mil. As empresas brasileiras também estão investindo no programa do Governo Federal.

As inscrições para o programa vão até a próxima segunda-feira, dia 30 de abril. Neste edital, os estudantes poderão se inscrever para cursos no Canadá, na Bélgica, na Holanda, em Portugal, na Espanha e em outros países. O critério de escolha do “Ciência sem Fronteiras” é o mérito, o que gerará oportunidade para todos, inclusive para os estudantes de baixa renda.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios