Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No próximo dia 12, parlamentares, ministros e técnicos do Mercosul debatem a construção da ferrovia interoceânica ligando os portos de Paranaguá no Paraná a Antofagasta no Chile. O assunto é o principal tema do 1º Seminário de Integração de Infraestrutura Ferroviário da América do Sul. O encontro foi proposto pelo deputado federal, Ricardo Barros (PP-PR).

“Reuniremos representantes de diversas esferas e também da iniciativa privada para avançar no assunto. Vamos identificar as iniciativas em andamento, as prioridades e o que governos já possuem. Agregar esforços e estabelecer um cronograma para que os investimentos, enfim, saiam do papel”, afirma Barros.

O projeto completo prevê uma moderna linha férrea de produção e exportação de produtos agropecuários com origem no Sul, Centro-Oeste e Sudoeste do Brasil, Leste do Paraguai e Norte da Argentina com ligação aos portos do Chile. Formando um corredor entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

“Os levantamentos apontam que a nova rota reduzirá em mais de 7 mil quilômetros a distância e em 30 dias a viagem na comparação com a rota pelo Canal do Panamá e em cerca de 2,5 mil quilômetros o trajeto pelo Canal da Boa Esperança”, destaca o deputado paranaense.

Os primeiros estudam apontam investimentos de US$ 5,5 bilhões para construir mais de 2,4 mil quilômetros de ferrovias com estimativa de transportar 40 milhões de toneladas até 2030 chegando a 100 milhões de toneladas em 2.045. E ainda a implantação de uma plataforma logística binacional que permitirá a integração de modais ferroviário, aeroviário, rodoviário e aquaviário em Salto Del Guairá (Paraguai) e Guaíra (PR) e Mundo Novo (MS).

Seminário

Proposto por Ricardo Barros, que faz parte do Parlamento do Mercosul (Parlasul), o “I Seminario De Integracion De Infraestructura De Transporte Ferroviario En America Del Sur” acontecerá em Assunção no dia 12 de Agosto.

O evento reunirá parlamentares, ministros, diretores de órgãos técnicos e representantes da iniciativa privada do Paraguai, Uruguai, Brasil, Argentina, Chile, Peru e Bolívia.

(paranainformacoes.com)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios