Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A comitiva liderada pelo governador Beto Richa iniciou nesta terça-feira (13) a agenda na China. O primeiro compromisso foi uma reunião com o vice-prefeito de Xangai, Zhou Bo, com a participação da cônsul do Brasil em Xangai, Ana Cândida Perez, e a secretária de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, para discutir o fortalecimento dos investimentos nos dois países. A missão internacional tem como objetivo abrir novas frentes de mercado para o Paraná e atrair investimentos estrangeiros para o Estado. 

Na sequência, Richa se reuniu com o vice-presidente da Nari Group Corporation, Min Tao, e com diretores da companhia, para apresentar os atrativos do Paraná para a instalação de uma unidade no Estado. A Nari é fabricante de tecnologia para o setor energético, como equipamentos para usinas hidrelétricas, eólicas e solares. Com um patrimônio de US$ 10 bilhões, a empresa já conta com uma unidade em Sorocaba, em São Paulo. 

"O Paraná continua aberto para as empresas que queiram investir e gerar empregos em nosso Estado”, afirmou Richa. “Além de ser um Estado com mão de obra qualificada e geograficamente bem localizado, o Paraná conta com todos os atrativos para as multinacionais. O Governo do Estado tem investido muito em infraestrutura, principalmente na melhoria da malha rodoviária e no Porto de Paranaguá”, explicou o governador.

Richa também ressaltou o fortalecimento das empresas estatais durante sua gestão. A Copel (Companhia Paranaense de Energia) e a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) contam com investimentos recordes e são reconhecidas nacional e internacionalmente como as melhores empresas em suas áreas de atuação. 

O presidente da Copel, Luiz Fernando Leone Vianna, o diretor de Relações Institucionais, Cristiano Holtz, o diretor-presidente da Copel Renováveis, Ricardo Dosso, e o presidente da Associação de Empresas da Cidade de Curitiba (AECIC), João Casillo, também acompanharam a reunião. 

BOX

Missões já renderam mais de R$ 5,7 bilhões em parcerias e investimentos 


As viagens anteriores do governador Beto Richa a países como França, Rússia e China renderam frutos para o Estado na forma de novos investimentos, parcerias estratégicas e suspensão de embargos à carne paranaense. Somente em investimentos produtivos e em parcerias estratégicas, os recursos somam mais de R$ 5,7 bilhões.

Em 2011, cerca de dois meses após uma visita do governador à sede da Renault na França – para negociar novos recursos para o Estado -, a montadora anunciou seu projeto de ampliação da fábrica em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O plano em andamento até 2019 contempla R$ 2 bilhões e está enquadrado no programa de incentivos Paraná Competitivo, com geração de 2 mil empregos.

A também francesa Weber Saint Gobain, uma das maiores fabricantes de argamassas do mundo, investiu em uma fábrica em Ibiporã, na região de Londrina, com recursos de R$ 19 milhões. Outro investimento francês (R$ 6 milhões) é da fabricante de produtos e partes para a indústria automotiva Demo do Brasil, que é ligado ao grupo Safe e tem uma fábrica, desde 2012, em Quatro Barras, na região de Curitiba. 

A Limagrain, por sua vez, estabeleceu uma parceria com a paranaense Sementes Guerra, e hoje mantém uma fábrica de biscoitos, pães e bolos prontos com a marca Jacquet em Guarapuava, região central do Paraná. Além dessa, as empresas têm uma usina que faz bioplástico, a Biolice, em Pato Branco, no Sudoeste.

As negociações para a vinda da Limagrain com investimentos R$ 55 milhões começaram em 2011, durante viagem de Beto Richa à Europa, quando visitou a sede da empresa em Clermond-Ferrand, na França, e reforçou o interesse do Estado no investimento.

ENERGIA – A aproximação com a China também trouxe parcerias estratégicas na área de energia. A Copel e a estatal chinesa de energia State Grid, por exemplo, fecharam acordo para participação em sociedade de leilões do setor e atualmente tocam em conjunto três projetos de linhas de transmissão no País. 

Juntas, as companhias de energia estão investindo R$ 3,6 bilhões em 2,5 mil quilômetros e subestações em linhas de transmissão no Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Bahia. Em dois projetos, a State Grid tem 51% e a Copel tem 49%. Num terceiro, a chinesa é majoritária com 51% e Copel e Furnas tem 24,5% cada uma.

EMBARGOS - A viagem de uma comitiva do governo à Rússia em 2012 também teve papel importante na retirada do embargo à carne bovina paranaense em 2014, depois de quase nove anos de suspensão das importações. A China também retomou importações de carne bovina no ano passado. O embargo estava em vigor desde 2012, após um caso não confirmado de vaca louca no Estado.

FUTURO - Os esforços na aproximação com o setor produtivo em outros países também prometem novos projetos. Recentemente, a fabricante de aeronaves russa Irkut, divisão do grupo United Aircraft Corporation, assinou um convênio com o Governo do Paraná para fabricar peças e partes de aeronaves e centros de operação em Maringá. 

A chinesa Zhengchang, fabricante de equipamentos para fabricação de ração, planeja investir em uma fábrica em Curitiba, com recursos estimados em R$ 60 milhões. 

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL