Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN

A Secretaria de Estado da Educação concluiu as novas instalações do Colégio Estadual Tarsila do Amaral, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. A expectativa é que a comunidade escolar possa começar o ano letivo de na nova estrutura, erguida com investimento de mais de R$ 3,4 milhões do Governo do Paraná.

A finalização da obra representa o compromisso da Secretaria de Estado da Educação em retomar empreendimentos que estavam em atraso ou parados. As obras da escola Tarsila do Amaral começaram em 2006, mas foram abandonadas duas vezes pelas empresas responsáveis.

Enquanto a escola não era concluída, cerca de 250 estudantes ocupavam parte da estrutura da Escola Municipal Professora Maria de Rocco Persegona, no bairro Santana, distante dois quilômetros da nova sede. Com o novo prédio, no bairro Planta Roseli, o número de matrículas pode chegar a 700 alunos. “Este aumento de vagas é muito importante devido à demanda existente na região por causa do crescimento populacional do município”, afirma a diretora, Chayane Callegalim Rocha.

A dona de casa Dolca de Souza Quadros, mãe de Lorena, de 14 anos, que vai cursar o 9.º ano, e de Gabriela, de 11 anos, que iniciará o 6.º ano, disse que está ansiosa pelo começo do ano letivo. “As minhas filhas não veem a hora para começar a estudar na nova sede da escola”, conta ela. “A escola está linda. É preciso agora respeitar e cuidar dela. O colégio é nosso, temos que valorizá-lo”, aconselha Dolca. Para ela, uma boa infraestrutura é muito importante para melhorar o ensino, junto com professores dedicados e com a participação da família.

Estrutura

A área do terreno da nova escola é de 11.850 metros quadrados. O novo prédio do Colégio Estadual Tarsila do Amaral tem área de construída de 3.182 metros quadrados. São 20 salas de aula, biblioteca, laboratório de química, física, biologia e de informática, pátio, quadra poliesportiva coberta, quatro salas administrativas, cozinha, refeitório, banheiros, banheiros adaptados, elevador para deficientes e rampas para acessibilidade. Há também uma residência para permissionário – morador responsável por zelar pelo patrimônio da escola.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios