Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Agência UEL

A classificação da Universidade Estadual de Londrina no ranking 2012 da World University Rankings Quacquarelli Symonds revela outros importantes números, além da 69ª posição, entre as 250 melhores universidades de 19 países da América Latina.

No Top Universities, a UEL ficou entre as cinco primeiras estaduais do país, juntamente com instituições de ponta como USP, Unicamp, Unesp e Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Considerando a classificação das universidades brasileiras, a UEL ficou na 19ª colocação, a segunda melhor do Paraná, abaixo somente da Universidade Federal (UFPR).

Para a diretora de avaliação e acompanhamento institucional da Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), Martha Marcondes, o bom conceito revelado na pesquisa mostrou, sobretudo, a reputação acadêmica. Os demais itens analisados são empregabilidade, publicações científicas, citações por artigos, impacto na Internet, profissionais com doutorado e quantidade de estudantes.

Segundo a diretora, o estudo mostrou, por outro lado, a necessidade da UEL investir ainda mais na chamada mobilidade estudantil, ou seja, enviar e receber acadêmicos para estudos, programas e estágios. No ano passado a UEL recebeu 58 estudantes de graduação provenientes de mais de 20 nações, inclusive dos Estados Unidos, China, Holanda, Itália, além de países africanos. Outros 34 estudantes estrangeiros foram registrados nos programas de pós-graduação.

Para a diretora, a mobilidade acadêmica é importante na medida em que projeta a Universidade internacionalmente, ampliando a pesquisa e melhorando o ensino e a graduação. Outra experiência que ela tira do estudo internacional é a necessidade de ampliar o diálogo com a iniciativa privada, escolas, instituições de pesquisa e entidades regionais.

“Precisamos aumentar o apreço da sociedade para a importância da Universidade”, afirma a professora, relatando que a UEL é referência nos setores da Saúde, Cultura e outros. Os coordenadores da pesquisa avaliam a empregabilidade das Universidades por meio de contatos com empresas e instituições, medindo inclusive a satisfação dos empregadores com a qualidade do ensino. Segundo a diretora, as Universidades melhor ranqueadas fazem este trabalho, obtendo retorno das empresas e instituições que respondem questionários, dando um retorno rápido aos examinadores.

A World University Rankings Quacquarelli Symonds é uma organização internacional, com sede na Inglaterra, que avalia anualmente o desempenho de Instituições de Ensino. Este ano o Brasil teve 65 universidades avaliadas. Na sequência aparece o México (46 universidades), Colômbia (34), Chile (30), Argentina (26), Peru (10), Equador (6), Venezuela (6), Cuba (5), Uruguai (4), Costa Rica (3), Paraguai (3), República Dominicana (3) Bolívia (2) El Salvador (2) Panamá (2) Guatemala (1) Nicarágua (1) e Porto Rico (1). 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios