Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

É muito gratificante receber um convite para ser madrinha de uma criança, é um sinal da confiança dos pais. Por isso, precisamos entender a responsabilidade quando dizemos ‘sim’ a esse convite.

A madrinha se torna uma mãe espiritual da criança nesse exercício de amor, e assume um compromisso perante Deus: deve transmitir ao afilhado (a) o sentido da fé, à medida que ele vai crescendo. O batismo é apenas o início de uma vida cristã e plena.

A missão da madrinha é colocar o afilhado nas mãos de Deus. Com toda certeza, Ele lhe dará todas as graças necessárias para acompanhar seu afilhado no caminho da fé que o próprio Senhor o convidou a trilhar. Ela representa a família do afilhado em caso de falta física ou de fé. Também representa a comunidade, a diocese e a igreja universal que acolhe; representa e dinamiza as ações pastorais, que acolhe o novo membro na fé, e forma o Corpo místico de Cristo.

Por mais gostoso que seja presentear um afilhado com aquele brinquedo que ele tanto quer, o melhor presente que podemos dar a ele é um acompanhamento sincero da sua vida espiritual e da sua relação com Jesus. Temos o papel de ensinar e acompanhar nossos afilhados a trilhar os passos da fé cristã no catecismo, e o nosso testemunho de vida é fundamental para iluminar a vida do afilhado em seu caminho cristão.

A madrinha tem autoridade espiritual sobre seu afilhado. Apesar de, muitas vezes, a autoridade ser vista como algo que impõe ou pressiona, ela é, na verdade, uma maneira de dizer que há respeito, sabedoria e propriedade no que fala. Por isso, a autoridade espiritual deve ser entendida como a atuação da madrinha frente à vida espiritual do seu afilhado, que, muitas vezes, está fraca. Ensinar um afilhado a rezar, a falar com Deus e a ser bem próximo de Jesus é a maior herança que podemos deixar.

Para cumprir sua missão com maestria, é importante a madrinha criar laços de amor fraterno com o afilhado, mas também com seus pais e irmãos. É preciso ter tempo juntos. Somente assim será possível acompanhar seu desenvolvimento como ser humano e cristão. Por tudo isso que falamos até agora, a madrinha tem por obrigação rezar pelo afilhado e apoiar a família para que a criança tenha uma formação religiosa com base sólida.

Uma dica para você começar a rezar mais por seus afilhados é a “Oração da Madrinha” e o “Terço pelos Afilhados”, que estão no livro “Dindas que oram pelos afilhados”. Peça a Deus que o afilhado seja uma pessoa de fé, de bem e de caráter, e que, quando adulta, possa servir de exemplo para outras pessoas. Peça ao Espírito Santo força na caminhada do afilhado, para que seus pés não vacilem. Peça à Virgem Maria que interceda por ele, e aos anjos, que o protejam todos os dias.

Ângela Abdo é fundadora e coordenadora nacional do Movimento “Mães que oram pelos filhos” e assessora no Estudo das Diretrizes para a Renovação Carismática Católica (RCC) no Brasil. É articulista do canal “Formação” do Portal Canção Nova (formacao.cancaonova.com) e autora de livros pela Editora Canção Nova.

Laila Cristina é coautora do livro Dindas que Oram pelos Afilhados, lançamento da Editora Canção Nova 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.