Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Ml 3,1-4)

Leitura da Profecia de Malaquias.

Assim diz o Senhor: 1Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais. Ei-lo que vem, diz o Senhor dos exércitos; 2e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe, quando ele aparecer?

Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros; 3e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor.

4Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 23)

— O Rei da glória é o Senhor onipotente!

— O Rei da glória é o Senhor onipotente!

— “Ó portas, levantai vossos frontões! Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

— Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o onipotente, o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

— “Ó portas, levantai vossos frontões! Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

— Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “O Rei da glória é o Senhor onipotente, o Rei da glória é o Senhor Deus do universo.”

Evangelho (Lc 2,22-40)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

22Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor. 23Conforme está escrito na lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”.

24Foram também oferecer o sacrifício — um par de rolas ou dois pombinhos — como está ordenado na Lei do Senhor. 25Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele 26e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor.

27Movido pelo Espírito, Simeão veio ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava, 28Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus: 29“Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; 30porque meus olhos viram a tua salvação, 31que preparaste diante de todos os povos: 32luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”.

33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele. 34Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. 35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma”.

36Havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. 37Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.

39Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Tomemos consciência da nossa consagração a Deus

 “Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor” (Lucas 2,22).

Já se passaram 40 dias da celebração do nascimento de Jesus, e após os 40 dias Jesus é levado ao templo para ser apresentado ao Senhor. Aquele que nos foi enviado por Deus é levado por Seus pais para se apresentar, para dizer: “Esse menino está a serviço do Senhor. Ele pertence ao Senhor. Ele é um consagrado do Senhor”.

Assim rezava a Lei: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”, e Jesus é o consagrado por excelência, Ele é o consagrado do Pai.

A consagração é o ato de tornar uma coisa sagrada. Pode até parecer redundante para a nossa mentalidade, mas Jesus é sagrado. Ele, enquanto homem, está consagrando e entregando toda a sua humanidade para Deus. Ele está nos ensinando aquilo que também devemos fazer e, um dia, nossos pais o fizeram. Porque nós também fomos apresentados a Deus, também fomos consagrados a Ele, também fomos entregues pela graça do batismo.

A festa de hoje é um convite e uma provocação, para que tomemos consciência da nossa consagração

Fico muito admirado, porque, cada vez mais, os pais têm feito questão de assim que as crianças nascem, na primeira oportunidade, levarem-nas às igrejas, um lugar da vivência da fé, para apresentá-las à própria comunidade.

Esse ritual não é um ritual sacramental, ele não substitui o rito do batismo de forma alguma, mas preciso dizer que é um ritual sagrado e belo. Morei tantos anos nos Estados Unidos e vi que era um ato muito praticado lá, e tenho o prazer cada vez que vejo uma mãe trazer uma criança pequena nos braços, muitas vezes, ainda recém-nascido, para entregar a Deus.

É preciso dizer que a verdadeira consagração é o batismo de cada um de nós. Se Jesus foi ainda criança, com 40 dias, consagrado a Deus, ainda lamento que há pessoas que tenham dúvidas sobre por que batizar uma criança tão cedo. A pergunta não é essa. A pergunta é: Por que não batizar tão cedo nossas crianças? Por que não consagrar tão cedo nossas crianças a Deus?

Já no ventre da mãe, faço questão de abençoar, de consagrar e entregar, e logo que se traz à Igreja para o ritual do batismo, a consagração batismal é plena. Não só pela água do Espírito que desce, e a criança é batizada no Espírito Santo, mas por toda a unção que a criança recebe no peito, na testa. Somos ungidos com os óleos da consagração, somos ungidos com o óleo do crisma, com o óleo dos catecúmenos, ou seja, tornamo-nos propriedades de Deus.

A festa de hoje é um convite e uma provocação, para que tomemos consciência da nossa consagração, pois eu, você, nossos filhos somos propriedades de Deus, pertencemos a Ele e precisamos permitir que essa consagração e essa unção faça toda a diferença em nossa vida.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios