Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Ef 2,19-22)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 19já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. 20Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. 21É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo Santo no Senhor. 22E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 116)

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos festejai-o!

— Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel!

Evangelho (Jo 20,24-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor!

24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. 27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O importante para a nossa fé é a experiência com Cristo

Se quisermos que a nossa fé cresça, não a submetamos às realidades materiais

“Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” (João 20,29).

Celebramos, hoje, a festa do apóstolo São Tomé, aquele que, após a Ressurreição de Jesus, disse: “Se não vir nas suas mãos o sinal dos pregos, e não puser o meu dedo no lugar dos pregos, e não introduzir a minha mão no seu lado, não acreditarei!” (João 20,25). Tomé é aquele que exige prova material, é aquele que precisa ver para crer, porque, se não vir, ele não acreditará.

No mundo materializado em que nos encontramos, muitas pessoas querem materializar a fé. E no que isso consiste? É, justamente, exigir provas materiais para aquilo que é espiritual, sobrenatural, para aquilo que os olhos humanos não podem alcançar. Não precisamos ver o sangue ou a carne vermelha para acreditar que a Eucaristia é o Corpo e o Sangue do Senhor. Se houve épocas e lugares distintos, os chamados milagres eucarísticos foram, na verdade, demonstrações sobrenaturais e milagrosas de Deus. Não precisamos, no entanto, nem desses milagres para acreditar na presença real de Jesus na Eucaristia. Precisamos da fé viva, verdadeira, madura e alimentada no Cristo Jesus.

Sou seguidor de Cristo desde menino, mas eu nunca vi Deus, nunca vi Nossa Senhora nem os anjos. Eu fecho os meus olhos para contemplar a presença de Deus em mim, no mundo em que estou, nas realidades que estou vivendo, mas não preciso nem quero nenhuma prova material.

Precisamos que Deus aja e transforme a nossa fé. Precisamos alimentá-la, porque não podemos cair na tentação da materialidade nem das provas materiais. Às vezes, olhamos para as pessoas nas redes sociais: “Olha, estão mandando fotos. Estou vendo um sinal aqui. Olha, uma marca no Céu! Olha a marca naquele lugar”. Tudo bem se para alguns aquilo é importante, mas isso não é fundamento de fé nem é importante para nós.

O importante para a nossa fé é a experiência com o Cristo vivo e ressuscitado, uma experiência real que não passa pela nossa necessidade de vermos, mas sim experimentarmos, não de forma material, mas na mística e na vida interior que temos.

Quanto mais vida interior, madura, real e concreta temos, menos precisamos de sinais humanos ou materiais. Quando a nossa relação com Cristo é verdadeira e autêntica, às vezes, nem sentimos nada, sentimos um vazio, uma dúvida: onde Deus está humana e psicologicamente? São os próprios sentimentos perguntando, porque não fizeram a experiência.

Santa Madre Teresa de Calcutá passou mais de 20 anos sem provar, até nos seus afetos, a presença de Deus, mas ela mesmo disse: “Foi o tempo onde eu tive mais fé, onde submeti a minha fé a Deus”.

Se quisermos que a nossa fé cresça, que ela seja madura e real, não a submetamos às realidades materiais, mas somente o crescimento da experiência mística e espiritual. É essa fé que nos faz chegar a Ele.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios