Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Ef 2,19-22)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 19já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. 20Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. 21É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo Santo no Senhor. 22E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 116)

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos festejai-o!

— Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel!

Evangelho (Jo 20,24-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor!

24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. 27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

A fé vai muito além dos sentimentos

 “Depois disse a Tomé: ‘Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel’” (João 6,27).

Jesus, o Ressuscitado, está dizendo ao apóstolo São Tomé o que temos, hoje, a graça de celebrar: “Não seja um homem incrédulo, mas fiel”.

Incredulidade todos nós temos. Somos uma mistura de fé e incredulidade, uma mistura de confiança e desconfiança até de Deus. Eu sei que todos nós cremos n’Ele, mas não nos abandonamos n’Ele.

Somos movidos por aquilo que domina o mundo em que estamos, que é o racionalismo e o materialismo. A racionalidade faz parte daquilo que somos enquanto pessoas humanas, e não podemos ignorar a razão, a qual é muito importante para que as coisas sejam concatenadas, compreendidas e elucidadas.

O que não pode é a razão dominar a fé. A razão tem elementos maravilhosos para a fé, mas a fé é algo muito mais sublime, ela é sobrenatural, é a nossa união com o Divino. Por isso, não podemos tornar a nossa fé material.

A fé material é aquela em que só cremos naquilo que vemos, naquilo que os olhos podem enxergar. Isso não é fé, pelo contrário, isso é falta de fé, porque cremos num Deus que não vemos, mas O amamos e tocamos, porque Ele toca em nós, e a sua graça está em nós.

A fé precisa estar para além dos sentidos e sentimentos, porque ela é o encontro pessoal e transformador com Deus

A graça de Deus se materializa quando a assumimos em nossa vida e a fazemos acontecer. A fé em Deus não se materializa no sentido material da presença sensível, humanamente falando, mas a fé se materializa nos gestos, no amor, na vivência e nas atitudes que demonstramos em relação a ela.

Nossa fé, muitas vezes abalada, torna-se uma fé incrédula quando passamos por decepções. Os discípulos estavam acordando de uma profunda decepção, pois o Mestre que eles seguiam foi crucificado. É óbvio que isso os deixou abalados, porque não se prepararam ou não mergulharam no mistério da cruz.

Quando não mergulhamos no mistério da cruz de Jesus, também nos abalamos diante das adversidades, das situações complicadas e duras da vida. Abalamo-nos diante de tantas situações que colocamos até a nossa fé em xeque. Quando a nossa fé é autêntica, quando ela é provada no mistério da cruz de Cristo, passamos por situações, purificações, nem sentimos a presença de Deus muitas vezes, mas a nossa fé é para além dos nossos sentimentos.

Não cremos porque sentimos, cremos, porque Ele nos ama e a nossa resposta de amor a Deus é a nossa fé. Por isso, a fé precisa estar para além dos sentidos e sentimentos, porque fé é encontro pessoal e transformador com esse Deus que deu razão e sentido para a nossa vida.

Deus abençoe você!

(Canção Nova)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios