Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Ef 2,19-22)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 19já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. 20Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. 21É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo Santo no Senhor. 22E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 116)

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos festejai-o!

— Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel!

Evangelho (Jo 20,24-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. 27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Fé é crer naquilo que não vemos

 “Mas Tomé disse-lhes: ‘Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei’” (João 20,25).

Tomé é um homem de fé, mas é também um homem da incredulidade e da fé material. A fé material é aquela que exige ver para crer, que não crê naquilo que não vê, naquilo que realmente não toca. Mas não é para condenarmos Tomé, pelo contrário, é para aprendermos com ele como precisamos purificar a nossa fé, como precisamos avançar na nossa fé. Muitas vezes, ficamos nesse estágio da fé mesmo: só cremos no que vemos, só acreditamos naquilo que nós tocamos, quando as realidades divinas, as realidades de Deus, são sobrenaturais.

Não tocamos de forma sensível e material, nós tocamos na fé, tocamos com o olhar da fé. E não é que Tomé não acreditasse em Jesus e na ressurreição d’Ele, mas ele precisava, na sua pobre maneira humana de pensar, tocar.

A fé não exclui a razão, pois a razão é muito necessária para iluminar, para trazer elementos reflexivos; aliás, a razão é muito importante para não vivermos uma fé ingênua, para não acreditarmos em qualquer coisa, para não vivermos uma fé de mitos, de muitas coisas que não são reais.

A fé mística é sublime, penetra as realidades mais profundas

Então, a razão, com certeza, é importantíssima para que tenhamos uma fé centrada, concreta e real. Porque Deus é real, Jesus é real e Ele se encarnou, assumiu uma realidade material, porém, a fé é muito mais do que isso. A fé é justamente crer naquilo que não vemos, porque o que não vemos os olhos da carne não veem. São nas realidades espirituais e sublimes que nós precisamos cada vez mais crescer, tocar e ser tocados.

Sem mística não há uma fé profunda e verdadeira. A fé humana é justamente essa fé que crê no que vê, mas a fé mística é sublime, penetra as realidades mais profundas; a fé mística é aquela que nos leva para a contemplação, é aquela que nos leva a tocar nas realidades sublimes, não é fantasia, invenção, crendice, porque pode correr esse risco.

Muitos transformam as suas fantasias, as suas neuroses e até psicoses em elementos de fé. Não se trata disso não! Trata-se de uma relação simples, amorosa, profunda e autêntica com Deus.

Tomé tocou e acreditou, mas Jesus diz que mais felizes são aqueles que creem sem ver, porque eles creem e veem o que é mais sublime. As realidades mais sublimes e profundas de Deus são mistérios para nossa fé; e mistério não é aquilo que é misterioso, que nós simplesmente não conhecemos, mas mistério é aquilo que é profundo, íntimo, que nos leva à identidade mais sublime de Deus.

Caminhamos no meio da fé e precisamos, cada vez mais, da mística profunda, sensata e serena para tocarmos nas realidades celestiais enquanto caminhamos nesta Terra.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios