Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Jr 28,1-17)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

1Nesse mesmo ano, no início do reinado de Sedecias, rei de Judá, no quinto mês do quarto ano, disse-me o profeta Ananias, filho de Azur, profeta de Gabdon, na casa do Senhor e na presença dos sacerdotes e de todo o povo:

2“Isto diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Quebrei o jugo do rei da Babilônia. 3Ainda dois anos e eu farei reconduzir a este lugar todos os vasos da casa do Senhor, que Nabucodonosor, rei da Babilônia, tirou deste lugar e transferiu para a Babilônia. 4Também reconduzirei a este lugar Jeconias, filho de Joaquim e rei de Judá, juntamente com toda a massa de judeus desterrados para Babilônia, diz o Senhor, pois eu quebro o jugo do rei da Babilônia”.

5Respondeu o profeta Jeremias ao profeta Ananias, na presença dos sacerdotes e de todo o povo que estava na casa do Senhor, 6dizendo: “Amém, assim permita o Senhor! Realize ele as palavras que profetizaste, trazendo de volta os vasos para a casa do Senhor e todos os deportados da Babilônia para esta terra.

7Ouve, porém, esta palavra que eu digo aos teus ouvidos e aos ouvidos de todo o povo: 8Os profetas que existiram antigamente, antes de mim e antes de ti, profetizaram sobre guerras, aflições e peste para muitos povos e reinos poderosos; 9mas o profeta que profetiza paz, esse somente será reconhecido como profeta, que em verdade o Senhor enviou, quando sua palavra for verificada”.

10Então o profeta Ananias retirou o jugo do pescoço do profeta Jeremias e quebrou-o; 11e disse Ananias, na presença de todo o povo: “Isto diz o Senhor: Deste modo quebrarei o jugo de Nabucodonosor, rei da Babilônia, dentro de dois anos, livrando dele o pescoço de todos os povos”.

E foi-se pelo seu caminho o profeta Jeremias. 12Depois que o profeta Ananias havia retirado o jugo do pescoço do profeta Jeremias, dirigiu-se novamente a palavra do Senhor a Jeremias:

13“Vai dizer a Ananias: Isto diz o Senhor: Quebraste um jugo de madeira, mas em seu lugar farás um de ferro. 14Isto diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Pus um jugo de ferro sobre o pescoço de todas estas nações, para servirem a Nabucodonosor, rei da Babilônia, e lhe serão de fato submissas; além disso, dei-lhe também os animais do campo”.

15Disse ainda o profeta Jeremias ao profeta Ananias: “Ouve, Ananias, não foste enviado pelo Senhor, e contudo fizeste este povo confiar em mentiras. 16Isto diz o Senhor: Eis que te farei partir desta terra; morrerás este ano, pois pregaste a infidelidade contra o Senhor”. 17Naquele ano, no sétimo mês, morreu o profeta Ananias.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 118)

— Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Não retireis vossa verdade de meus lábios, pois eu confio em vossos justos julgamentos!

— Que se voltem para mim os que vos temem e conhecem, ó Senhor, vossa Aliança! Meu coração seja perfeito em vossa lei, e não serei, de modo algum, envergonhado!

— Espreitam-me os maus para perder-me, mas continuo sempre atento à vossa lei.

— De vossos julgamentos não me afasto, porque vós mesmo me ensinastes vossas leis.

Evangelho (Mt 14,22-36)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. 

— Glória a vós, Senhor.

Depois que a multidão comera até saciar-se, 22Jesus mandou que os discípulos entrassem na barca e seguissem, à sua frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despediria as multidões. 23Depois de despedi-las, Jesus subiu ao monte, para orar a sós. A noite chegou, e Jesus continuava ali, sozinho. 24A barca, porém, já longe da terra, era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário. 25Pelas três horas da manhã, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar. 26Quando os discípulos o avistaram, andando sobre o mar, ficaram apavorados, e disseram: “É um fantasma”. E gritaram de medo. 27Jesus, porém, logo lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!” 28Então Pedro lhe disse: “Senhor, se és tu, manda-me ir a teu encontro, caminhando sobre a água”. 29E Jesus respondeu: “Vem!” Pedro desceu da barca e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus. 30Mas, quando sentiu o vento, ficou com medo e começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!” 31Jesus logo estendeu a mão, segurou Pedro, e lhe disse: “Homem fraco na fé, por que duvidaste?” 32Assim que subiram na barca, o vento se acalmou. 33Os que estavam na barca, prostraram-se diante dele, dizendo: “Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!”

34Após a travessia desembarcaram em Genesaré. 35Os habitantes daquele lugar reconheceram Jesus e espalharam a notícia por toda a região. Então levaram a ele todos os doentes; 36e pediam que pudessem, ao menos, tocar a barra de sua veste. E todos os que a tocaram, ficaram curados.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O medo enfraquece a nossa fé em Deus

 “E gritaram de medo. Jesus, porém, logo lhes disse: ‘Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!’” (Mateus 14,27-28).

Quando a noite chega, o pavor já toma conta do coração humano diante da escuridão. Mais do que o pavor da escuridão, há as águas impetuosas que se movimentam de um lado para outro. E quando as coisas saem daquele parâmetro comum do que estamos acostumados, o medo já nos bate à porta; preocupamo-nos, agitamo-nos, assustamo-nos, porque não sabemos lidar com o diferente nem com os ventos contrários.

Quando o medo começa a tomar conta dos impulsos e dos sentimentos do coração, ele cria fantasias e fantasmas, até da pessoa que está do nosso lado temos medo, vemos nela o que ela não é, e ela começa ser uma caricatura para nós, porque o medo fantasia as realidades.

Por isso, quando Jesus está vindo sobre as águas, eles não veem Jesus, eles veem um fantasma, ficam apavorados, gritam de medo, e é preciso a voz do Mestre ressoar: “Não tenhais medo! Sou eu”.

É preciso deixar ressoar, no fundo da nossa alma, no fundo do nosso coração: “Não tenhais medo”, porque precisamos vencer o medo, o pavor, e permitir que a nossa fé seja cura, não seja simplesmente um escudo para não nos apavorar diante das situações.

Aumentemos a nossa relação de confiança com Jesus, para que nenhum medo seja maior que a nossa fé

A fé tem que nos curar dos fantasmas, das fantasias, dos pavores que fomos acumulando ao longo da vida. Quando entramos para a penumbra da nossa alma, percebemos que há muitos fantasmas escondidos dentro de nós. E eles ressuscitam criando pânico e pavor dentro do nosso coração.

Exorcizemos todos os fantasmas do coração, todos os medos e fantasias da alma, inclusive aqueles que vêm do nosso consciente, até por situações de infância que não resolvemos ao longo da vida. 

O Mestre Jesus vem ao nosso encontro para nos curar, para nos colocar de pé. É de pé que Pedro fica para ir ao encontro de Jesus, mas quando ele vai, o Mestre diz: “Vem, Pedro”. E quando Pedro caminhava em direção a Jesus, sentiu um vento bater n’Ele e ficou com medo.

O medo apavora, destrói até a nossa relação confiante com Deus. O medo nos faz tremer diante de qualquer vento que vem ao nosso encontro. O problema, no entanto, não é o vento nem a tempestade, o problema é o nosso medo que enfraquece a pouca fé que temos; e quando a fé fica enfraquecida, nós desabamos.

Alimentemos a nossa fé, coloquemos a nossa fé em Jesus e, mais do que colocá-la n’Ele, alimentemos a nossa fé com Ele. Aumentemos a nossa relação de confiança com Jesus, para que nenhum medo seja maior que a nossa fé, para que nenhum medo grite dentro de nós mais alto do que a convicção do amor que Deus tem por nós. 

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo  - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios