Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 15,22-31)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 22pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, de acordo com toda a Comunidade de Jerusalém, escolher alguns da Comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé.

Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos. 23Através deles enviaram a seguinte carta: “Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia. 24Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós. 25Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo, 26homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 27Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem. 28Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis: 29abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações!”

30Depois da despedida, Judas e Silas foram para Antioquia, reuniram a assembleia e entregaram a carta. 31A sua leitura causou alegria, por causa do estímulo que trazia.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 56)

— Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos.

— Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos.

— Meu coração está pronto, meu Deus, está pronto o meu coração! Vou cantar e tocar para vós: desperta, minha alma, desperta! Despertem a harpa e a lira, eu irei acordar a aurora!

— Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos, dar-vos graças por entre as nações! Vosso amor é mais alto que os céus, mais que as nuvens a vossa verdade! Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus, vossa glória refulja na terra!

Evangelho (Jo 15,12-17)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.

14Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. 15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

https://www.youtube.com/watch?v=gP3cnH7SBGU

Percebamos a dimensão do amor de Deus por nós

Precisamos mergulhar no coração de Deus para vivermos a dimensão mais profunda do amor

“Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros” (João 15,17).

Queremos permanecer em Deus, e o caminho para não nos desviarmos d’Ele é a via do amor. Não há outro caminho, ainda que busquemos outros modos de permanecermos no Senhor. Ainda que procuremos outras formas de viver o amor, seja ele seletivo, opcional, egocêntrico, erótico etc., todas elas nos dão a expressão mais divina, que se chama amor.

Todo amor sem Deus é simplesmente mundano. O amor sublime e por excelência tem nome: Deus. Como nos recorda São João: “Deus é amor!”. Precisamos mergulhar no coração do Senhor para vivermos a dimensão mais profunda do amor. Não vivemos uma crise de fé ou de identidade, a crise que vivemos, dentro da igreja ou fora dela, na humanidade, na sociedade, é a crise do amor.

Todas as vezes que o amor deixa de ser vivido, cada vez que ele não é renovado nem intensificado, as paredes da casa balançam, a família estremece. Com a casa de Deus acontece a mesma coisa.

Vamos, muitas vezes, atrás de metodologias, pastorais e tantas outras coisas que são necessárias, mas temos de viver a dimensão do amor profundo, verdadeiro e autêntico, o amor que respeitamos e sabemos viver com as diferenças que o outro apresenta, amor que nos faz respeitar o outro, amor que não nos leva a falar mal daquele que é diferente de nós. Quem vive a fé de forma alheia ao que pensamos não entendeu nada do Cristianismo.

A nossa tendência é dogmatizar as coisas, impor o que pensamos. Muitas vezes, o que achamos e cremos é até verdadeiro, mas não é autêntico, pois não está revestido do amor profundo de Deus. O que nos salva não é a vivência da doutrina e dos dogmas. O que nos coloca em comunhão com Deus é a vivência do mandamento do amor.

O capricho tem de ser grande, o esforço tem de ser maior. Jesus está dizendo: “O que vos ordeno”. Não é um pedido nem uma súplica, pelo contrário, é uma exigência fundamental e necessária para ser discípulo do Senhor. “Amai-vos uns aos outros”. De que forma? Da forma como o Senhor nos ama. Se compreendermos isso, estaremos no caminho do Mestre. Agora, se relativizarmos, perdemo-nos e as crises tomam conta da nossa vida, da nossa convivência e fé.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios