Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 14,19-28)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 19de Antioquia e Icônio chegaram judeus que convenceram as multidões. Então apedrejaram Paulo e arrastaram-no para fora da cidade, pensando que ele estivesse morto. 20Mas, enquanto os discípulos o rodeavam, Paulo levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu para Derbe com Barnabé.

21Depois de terem pregado o Evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia. 22Encorajando os discípulos, eles os exortavam a permanecer firmes na fé, dizendo-lhes: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus”. 23Os apóstolos designaram presbíteros para cada comunidade. Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor, em quem haviam acreditado.

24Em seguida, atravessando a Pisídia, chegaram à Panfília. 25Anunciaram a palavra em Perge, e depois desceram para Atália. 26Dali embarcaram para Antioquia, de onde tinham saído, entregues à graça de Deus, para o trabalho que haviam realizado.

27Chegando ali, reuniram a comunidade. Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles e como havia aberto a porta da fé para os pagãos. 28E passaram então algum tempo com os discípulos.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 144)

— Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso Reino glorioso.

— Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso Reino glorioso.

— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!

— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração.

— Que a minha boca cante a glória do Senhor e que bendiga todo ser seu nome santo desde agora, para sempre e pelos séculos.

Evangelho (Jo 14,27-31a)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 27“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. 28Ouvistes que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29Disse-vos isto, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

30Já não falarei muito convosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim, 31amas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai, eu procedo conforme o Pai me ordenou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

A paz de Deus cura o nosso coração

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração” (João 14,27).

Tudo o que Jesus deseja é que o nosso coração tenha paz, e tudo o que precisamos é da paz que vem de Deus. Ele mesmo está nos dizendo: “Eu não dou a paz como o mundo dá”, porque a paz do mundo é falsa, é de acordo com as conveniências, com a acomodação, cada um vivendo de acordo com seus interesses.

A paz de Jesus incomoda, mexe conosco por dentro, leva-nos a nos voltarmos para a nossa consciência, revermos os nossos erros, as nossas falhas e nossos limites. Não há paz com a consciência pesada, não há paz cometendo erros, pecando, não há paz com ódio no coração, com ressentimento, mágoa e rancor; não existe paz enquanto o outro sofre injustiça.

A paz que Deus nos dá é, na verdade, uma paz interior, uma comunhão com Deus que leva à libertação do coração. É o coração liberto do pecado, da mentira, das maldades. É isso que nos traz a paz que precisamos dentro de nós!

Permitamos que a paz de Deus cure o nosso coração para sermos instrumento da paz d’Ele no coração de todos

A paz que Ele nos dá é aquela que também levamos aos outros, que promove a reconciliação, a vivência do amor, da solidariedade e da vivência harmônica entre os irmãos. É a paz que nos leva a viver e a conviver com quem reza, pensa, com quem tem uma vida diferente de nós. A paz que nos leva a aceitar o outro, e isso não significa concordar com os erros, mas é a paz que não leva a julgar, mas sim a amar.

A paz que vem de Deus é incômoda, porque incomoda-nos por dentro. Ela nos leva a rever nossos conceitos, nossas escolhas, percepções, opiniões e visões limitadas, parciais e erradas que temos da vida. É a paz que nos leva a ter uma consciência reta diante de Deus e dos irmãos.

“Não se perturbe nem se intimide o vosso coração”, não é na perturbação mental que Deus quer que estejamos. Quantas vezes, vivemos tantas perturbações nos nossos sentimentos, e os nossos afetos estão também incomodados. Vivemos as preocupações, as inquietações todas dentro de nós, e isso rouba a nossa paz, provoca em nós ansiedade, contrariedade e nos deixa mentalmente doentes. E Deus não nos quer assim, Ele nos quer curados e libertos.

Vivamos na paz de Deus e permitamos que ela cure o nosso coração para sermos instrumento d’Ele no coração de todos.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios