Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 14,19-28)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 19de Antioquia e Icônio chegaram judeus que convenceram as multidões. Então apedrejaram Paulo e arrastaram-no para fora da cidade, pensando que ele estivesse morto. 20Mas, enquanto os discípulos o rodeavam, Paulo levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu para Derbe com Barnabé.

21Depois de terem pregado o Evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia. 22Encorajando os discípulos, eles os exortavam a permanecer firmes na fé, dizendo-lhes: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus”. 23Os apóstolos designaram presbíteros para cada comunidade. Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor, em quem haviam acreditado.

24Em seguida, atravessando a Pisídia, chegaram à Panfília. 25Anunciaram a palavra em Perge, e depois desceram para Atália. 26Dali embarcaram para Antioquia, de onde tinham saído, entregues à graça de Deus, para o trabalho que haviam realizado.

27Chegando ali, reuniram a comunidade. Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles e como havia aberto a porta da fé para os pagãos. 28E passaram então algum tempo com os discípulos.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 144)

— Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso Reino glorioso.

— Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso Reino glorioso.

— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!

— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração.

— Que a minha boca cante a glória do Senhor e que bendiga todo ser seu nome santo desde agora, para sempre e pelos séculos.

Evangelho (Jo 14,27-31a)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 27“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. 28Ouvistes que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29Disse-vos isto, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

30Já não falarei muito convosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim, 31amas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai, eu procedo conforme o Pai me ordenou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

A paz de Deus cura o nosso coração

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração” (João 14,27).

Tudo o que Jesus deseja é que o nosso coração tenha paz, e tudo o que precisamos é da paz que vem de Deus. Ele mesmo está nos dizendo: “Eu não dou a paz como o mundo dá”, porque a paz do mundo é falsa, é de acordo com as conveniências, com a acomodação, cada um vivendo de acordo com seus interesses.

A paz de Jesus incomoda, mexe conosco por dentro, leva-nos a nos voltarmos para a nossa consciência, revermos os nossos erros, as nossas falhas e nossos limites. Não há paz com a consciência pesada, não há paz cometendo erros, pecando, não há paz com ódio no coração, com ressentimento, mágoa e rancor; não existe paz enquanto o outro sofre injustiça.

A paz que Deus nos dá é, na verdade, uma paz interior, uma comunhão com Deus que leva à libertação do coração. É o coração liberto do pecado, da mentira, das maldades. É isso que nos traz a paz que precisamos dentro de nós!

Permitamos que a paz de Deus cure o nosso coração para sermos instrumento da paz d’Ele no coração de todos

A paz que Ele nos dá é aquela que também levamos aos outros, que promove a reconciliação, a vivência do amor, da solidariedade e da vivência harmônica entre os irmãos. É a paz que nos leva a viver e a conviver com quem reza, pensa, com quem tem uma vida diferente de nós. A paz que nos leva a aceitar o outro, e isso não significa concordar com os erros, mas é a paz que não leva a julgar, mas sim a amar.

A paz que vem de Deus é incômoda, porque incomoda-nos por dentro. Ela nos leva a rever nossos conceitos, nossas escolhas, percepções, opiniões e visões limitadas, parciais e erradas que temos da vida. É a paz que nos leva a ter uma consciência reta diante de Deus e dos irmãos.

“Não se perturbe nem se intimide o vosso coração”, não é na perturbação mental que Deus quer que estejamos. Quantas vezes, vivemos tantas perturbações nos nossos sentimentos, e os nossos afetos estão também incomodados. Vivemos as preocupações, as inquietações todas dentro de nós, e isso rouba a nossa paz, provoca em nós ansiedade, contrariedade e nos deixa mentalmente doentes. E Deus não nos quer assim, Ele nos quer curados e libertos.

Vivamos na paz de Deus e permitamos que ela cure o nosso coração para sermos instrumento d’Ele no coração de todos.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.