Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Br 1,15-22)

Leitura do Livro de Baruc.

15Ao Senhor nosso Deus, cabe justiça; enquanto a nós, resta-nos corar de vergonha, como acontece no dia de hoje aos homens de Judá e aos habitantes de Jerusalém, 16aos nossos reis, nossos príncipes e sacerdotes, aos nossos profetas e nossos antepassados: 17pois pecamos diante do Senhor e lhe desobedecemos 18e não ouvimos a voz do Senhor, nosso Deus, que nos exortava a viver de acordo com os mandamentos que ele pôs sob os nossos olhos. 19Desde o dia em que o Senhor tirou nossos pais do Egito, até hoje, temos sido desobedientes ao Senhor nosso Deus, procedemos inconsideradamente, deixando de ouvir sua voz; 20por isso perseguem-nos as calamidades e a maldição, que o Senhor nos lançou por meio de Moisés, seu servo, no dia em que tirou nossos pais do Egito, para nos dar uma terra que mana leite e mel, como de fato é hoje. 21Mas não escutamos a voz do Senhor, nosso Deus, como vem nas palavras dos profetas que ele nos enviou, 22e entregamo-nos, cada qual, às inclinações do perverso coração, para servir a outros deuses e praticar o mal aos olhos do Senhor, nosso Deus!

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 78)

— Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos, ó Senhor!

— Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos, ó Senhor!

— Invadiram vossa herança os infiéis, profanaram, ó Senhor, o vosso templo, Jerusalém foi reduzida a ruínas! Lançaram aos abutres como pasto os cadáveres dos vossos servidores; e às feras da floresta entregaram os corpos dos fiéis, vossos eleitos.

— Derramaram o seu sangue como água em torno das muralhas de Sião, e não houve quem lhes desse sepultura! Nós nos tornamos o opróbrio dos vizinhos, um objeto de desprezo e zombaria para os povos e àqueles que nos cercam. Mas até quando, ó Senhor, veremos isto? Conservareis eternamente a vossa ira? Como fogo arderá a vossa cólera?

— Não lembreis as nossas culpas do passado, mas venha logo sobre nós vossa bondade, pois estamos humilhados em extremo.

— Ajudai-nos, nosso Deus e Salvador! Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! Por vosso nome, perdoai nossos pecados!

Evangelho (Lc 10,13-16)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 13“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que foram feitos no vosso meio, há muito tempo teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e sentando-se sobre cinzas. 14Pois bem: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia terão uma sentença menos dura do que vós. 15Ai de ti, Cafarnaum! Serás elevada até o céu? Não, tu serás atirada no inferno. 16Quem vos escuta a mim escuta; e quem vos rejeita a mim despreza; mas quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Escutemos a voz da Igreja

 “Quem vos escuta a mim escuta; e quem vos rejeita a mim despreza; mas quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou” (Lucas 10,16).

Precisamos ouvir Jesus acima de qualquer coisa, de qualquer pessoa ou situação. A verdade, no entanto, é que estamos num mundo infestado de notícias por todos os lados, em épocas de avanços tecnológicos, em épocas de redes sociais, chegando notícias a todo o tempo, numa velocidade sem fim.

Nossas redes, entre elas o WhatsApp, recebem, a cada momento, notícias disso e daquilo; muitas vezes, notícias falsas que recebemos e acolhemos sem nem mesmo meditar, refletir, sem saber se aquilo que recebemos é uma notícia verdadeira e se precisa ser noticiada e passada adiante.

A Palavra de Deus, hoje, está chamando à atenção para o seguinte aspecto: é preciso escutar a Igreja. “Quem vos escuta a mim escuta”. A Igreja é aquela que fala em nome do Senhor. Então, em primeiro lugar, no mundo de confusões, inclusive dentro da própria Igreja, temos um referencial de segurança na nossa fé. Precisamos ouvir o nosso pastor, precisamos ouvir a voz do Papa.

Há, no meio de nós, aqueles que se acham sábios, doutores, conhecedores que querem contestar até o Papa. O Santo Padre não é infalível como pessoa, ele é infalível como aquele que nos direciona na vivência da fé.

A habilidade papal é uma verdade de fé, então, enquanto ele nos guia na fé, estamos indo atrás dele e caminhando com segurança. Por isso, a Igreja tem mais de dois mil anos de história, porque segue a fidelidade ao seu Senhor.

Precisamos escutar a voz da Igreja, pois ela é mãe e tem um pai, que é Deus, e também tem o Papa e os pastores

Escutemos a Igreja, escutemos aquilo que diz o Papa. Pode haver bons pregadores que falam bonito, que façam curas, que prometam milagres, que aumentem a voz e usem expressões lindas, outros têm usado até de ironias. Precisamos escutar a Igreja, ela é mãe e tem um pai, que é Deus, e também tem o Papa e os pastores.

Pode ser que, humanamente, haja algo que não concorde, mas, para mim, a grande alegria de ser cristão e católico é viver a comunhão com a Igreja.

Temos, hoje, o exemplo de São Francisco de Assis, que estamos celebrando. Francisco se fez o homem servo da Igreja, colocou-se aos pés dela. Ele não veio para contestar a Igreja, mas para se tornar servo dela, por isso se tornou santo e é um referencial de fé.

No mundo de tantas confusões, onde cada um quer levar o pensamento para um lado, quer puxar a sabedoria para o seu pensamento, quer levar a voz e falar em nome de Deus, porque tem argumentos e sabe falar, Deus, muitas vezes, fala pelo silêncio da Igreja. Eu prefiro abaixar a minha cabeça para ouvir os meus pastores do que levantar os ouvidos para ouvir os lobos que usam da Igreja para causar dispersão, confusão e semear a discórdia.

Estamos com o Papa Francisco, estamos com os nossos bispos, estamos com a Igreja do Senhor, como São Francisco. “Quem vos escuta a mim escuta. Quem rejeita a Igreja, a voz da Igreja, a voz do Papa, a mim despreza”, diz o Senhor. Por isso, estou com a Igreja, estou com os Papas e pastores, e quero permanecer com Jesus.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Santo do dia: São Francisco de Assis

Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.

Aconteceu que Francisco foi para a guerra como cavaleiro, mas doente ouviu e obedeceu a voz do Patrão que lhe dizia: “Francisco, a quem é melhor servir, ao amo ou ao criado?”. Ele respondeu que ao amo. “Porque, então, transformas o amo em criado?”, replicou a voz. No início de sua conversão, foi como peregrino a Roma, vivendo como eremita e na solidão, quando recebeu a ordem do Santo Cristo na igrejinha de São Damião: “Vai restaurar minha igreja, que está em ruínas”.

Partindo em missão de paz e bem, seguiu com perfeita alegria o Cristo pobre, casto e obediente. No campo de Assis havia uma ermida de Nossa Senhora chamada Porciúncula. Este foi o lugar predileto de Francisco e dos seus companheiros, pois na Primavera do ano de 1200 já não estava só; tinham-se unido a ele alguns valentes que pediam também esmola, trabalhavam no campo, pregavam, visitavam e consolavam os doentes. A partir daí, Francisco dedica-se a viagens missionárias: Roma, Chipre, Egito, Síria… Peregrinando até aos Lugares Santos. Quando voltou à Itália, em 1220, encontrou a Fraternidade dividida. Parte dos Frades não compreendia a simplicidade do Evangelho.

Em 1223, foi a Roma e obteve a aprovação mais solene da Regra, como ato culminante da sua vida. Na última etapa de sua vida, recebeu no Monte Alverne os estigmas de Cristo, em 1224.

Já enfraquecido por tanta penitência e cego por chorar pelo amor que não é amado, São Francisco de Assis, na igreja de São Damião, encontra-se rodeado pelos seus filhos espirituais e assim, recita ao mundo o cântico das criaturas. O seráfico pai, São Francisco de Assis, retira-se então para a Porciúncula, onde morre deitado nas humildes cinzas a 3 de outubro de 1226. Passados dois anos incompletos, a 16 de julho de 1228, o Pobrezinho de Assis era canonizado por Gregório IX.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios