Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 18,1-8)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 1Paulo deixou Atenas e foi para Corinto. 2Aí encontrou um judeu chamado Áquila, natural do Ponto, que acabava de chegar da Itália, e sua esposa Priscila, pois o imperador Cláudio tinha decretado que todos os judeus saíssem de Roma. Paulo entrou em contato com eles. 3E, como tinham a mesma profissão – eram fabricantes de tendas – Paulo passou a morar com eles e trabalhavam juntos.

4Todos os sábados, Paulo discutia na sinagoga, procurando convencer judeus e gregos. 5Quando Silas e Timóteo chegaram da Macedônia, Paulo dedicou-se inteiramente à Palavra, testemunhando diante dos judeus que Jesus era o Messias. 6Mas, por causa da resistência e blasfêmias deles, Paulo sacudiu as vestes e disse: “Vós sois responsáveis pelo que acontecer. Eu não tenho culpa; de agora em diante, vou dirigir-me aos pagãos”.

7Então, saindo dali, Paulo foi para a casa de um pagão, um certo Tício Justo, adorador do Deus único, que morava ao lado da sinagoga. 8Crispo, o chefe da sinagoga, acreditou no Senhor com toda a sua família; e muitos coríntios, que escutavam Paulo, acreditavam e recebiam o batismo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 97)

— O Senhor fez conhecer seu poder salvador perante as nações.

— O Senhor fez conhecer seu poder salvador perante as nações. 

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

— O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

— Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

Evangelho (Jo 16,16-20)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:

16“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”. 17Alguns dos seus discípulos disseram então entre si: “O que significa o que ele nos está dizendo: ‘Pouco tempo, e não me vereis, e outra vez pouco tempo, e me vereis de novo’, e: ‘Eu vou para junto do Pai?’”.18Diziam, pois: “O que significa este pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer”. 19Jesus compreendeu que eles queriam interrogá-lo; então disse-lhes: ‘Estais discutindo entre vós porque eu disse: ‘Pouco tempo e já não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis?’

20Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

A alegria que vem do Senhor é nossa força

O Senhor consola nossas lágrimas e nos dá razão para sorrir quando temos vontade de chorar

“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria” (João 16, 20).

Amados irmãos, muitas vezes, ficamos inconformados, porque muitas pessoas estão sempre felizes. Existem pessoas que vivem sorrindo à toa, mas nós não. Muitas vezes, vivemos como num vale de lágrimas, submersos num mar de fraquezas! Por que passamos por tudo isso? Primeiro, porque não podemos nem queremos viver uma alegria superficial, e há muita alegria falsa neste mundo, muita alegria que é zombaria, desprezo à verdade e ao sofrimento do outro!

Existem muitas pessoas alegrando-se à custa do sofrimento dos outros, de fazer os outros sofrerem. Por isso, dessa alegria nós não queremos tomar parte.

A segunda coisa é que muitos vivem uma alegria passageira, baseada em vaidades. A vaidade é tudo aquilo que se vai; não fica, não permanece, é muita alegria baseada em coisas banais e superficiais. Não é essa alegria que Deus quer nos dar.

Não estamos julgando nem condenando o coração de ninguém, mas dizendo ao nosso coração que a alegria do mundo não é a nossa alegria, pois esta é baseada na verdade, na superação, conversão e relação pessoal com Deus, que cresce à medida que contribuímos com o bem e a felicidade do outro. Nossa alegria é plena quando não é baseada no egoísmo, na soberba nem no orgulho. Muitas pessoas estão se alegrando, porque outros estão caindo. Que alegria falsa e vã! Que alegria baseada em algo superficial e mundano!

A nossa alegria não pode ser mundana, porque ela não vêm das coisas do mundo. Nós até vivemos neste mundo, compartilhamos das coisas boas que ele pode nos dar, mas a nossa alegria vem de Deus, porque Ele consola nossas lágrimas e nos dá razão para sorrir quando, muitas vezes, temos vontade de chorar.

O Senhor nos levanta da poeira quando estamos prostrados, caídos por terra. O Senhor nos dá uma razão para nossa vida plena, Ele dá esperança aos horizontes da nossa vida quando estes se perdem nas lágrimas do mundo. O Senhor transforma as penúrias da nossa alma e do nosso coração em alegria de viver!

Submetamo-nos à alegria que vem do coração de Deus. Permitamos que a alegria d’Ele seja nossa força.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios