Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Mq 5,1-4a)

Leitura do Livro do Profeta Miqueias.

Assim fala o Senhor: 1“Tu, Belém de Éfrata, pequenina entre os mil povoados de Judá, de ti há de sair aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade. 2Deus deixará seu povo ao abandono, até ao tempo em que uma mãe der à luz; e o resto de seus irmãos se voltará para os filhos de Israel. 3Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor e com a majestade do nome do Senhor seu Deus; os homens viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até aos confins da terra, 4ae ele mesmo será a paz”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 70,6;12,6)

— Exulto de alegria no Senhor.

— Exulto de alegria no Senhor.

— Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo: para vós o meu louvor eternamente!

— Uma vez que confiei no vosso amor, meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Evangelho (Mt 1,18-23)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.

19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Correspondamos à graça de Deus que está em nós

 “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo” (Mateus 1,20).

Hoje, temos a graça de celebrar a Natividade da Virgem Maria, temos a graça de celebrar o nascimento de Maria. Para nós é muito significativo, porque gostamos de celebrar a vida, o nosso aniversário, o dia do nosso nascimento. Ainda que, muitas vezes, centremos a celebração do nascimento no bolo, na festa, nos “parabéns para você”, o sentido e o significado não é esse.

Celebrar o nascimento de alguém é reconhecer o dom e o significado que a vida tem. E cada vida humana tem um significado único, singular e particular. Então, celebrar o dia do nosso nascimento, primeiro, é reconhecer a grandeza, o amor de Deus que nos deu o dom de viver, que nos chamou à existência. É um ato de gratidão ao Senhor da vida.

Muitas vezes, voltamo-nos para nós, exaltamos o nosso ego – “meu aniversário” –, mas é a celebração da vida que Deus nos deu. Depois, é um reconhecimento àqueles que nos geraram a vida: nossos pais, que tiveram a graça de se unirem de forma amorosa e nos conceberam, passamos a existir e nascemos para viver. Cada dia da existência tem um significado singular pelo “sim” dos nossos pais. Então, a eles a nossa gratidão e o nosso reconhecimento.

É uma questão de corresponder, é fazer a vida ressoar a graça de Deus que em nós está

Depois, o significado que a nossa vida tem no mundo onde estamos e na missão que realizamos. Ninguém veio a este mundo somente por vir, viemos para realizar uma missão. Por isso, hoje, quando celebramos a Natividade, o nascimento da Virgem Maria, reconhecemos, primeiro, a paternidade: ela é a filha do Pai muito amado.

E cada pessoa sendo única no coração de Deus, Maria, com certeza, a Filha amada do Pai, nasceu com uma missão toda singular. Foi em vista do seu Filho Jesus que ela foi concebida sem pecado e nasceu para cumprir uma missão divina.

Maria se tornou a esposa do Espírito, foi por obra e ação do Espírito Santo que ela concebeu Jesus, Nosso Salvador. Maria, a quem hoje celebramos a vida, tornou-se toda de Deus. E nós também podemos na nossa vida sermos inteiros de Deus, basta cumprirmos e respondermos a missão a qual fomos chamados.

No batismo, naquele toque da graça, naquela unção que todos nós reconhecemos, a vida de Deus nasce em nós. É uma questão de corresponder, é fazer a vida ressoar a graça de Deus que em nós está.

Maria correspondeu à graça que Deus lhe deu. Hoje, nós podemos hoje olhar para ela, celebrar a sua vida, o seu nascimento e dizer: “Maria, como tu, quero também corresponder à graça divina que está em mim”.

Deus abençoe você!

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios