Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 4,13-21)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, os chefes dos sacerdotes, os anciãos e os escribas 13ficaram admirados ao ver a segurança com que Pedro e João falavam, pois eram pessoas simples e sem instrução. Reconheciam que eles tinham estado com Jesus. 14No entanto viam, de pé, junto a eles, o homem que tinha sido curado. E não podiam dizer nada em contrário.  15Mandaram que saíssem para fora do Sinédrio, e começaram a discutir entre si: 16“Que vamos fazer com esses homens? Eles realizaram um milagre claríssimo, e o fato tornou-se de tal modo conhecido por todos os habitantes de Jerusalém, que não podemos negá-lo. 17Contudo, a fim de que a coisa não se espalhe ainda mais entre o povo, vamos ameaçá-los, para que não falem mais a ninguém a respeito do nome de Jesus”. 18Chamaram de novo Pedro e João e ordenaram-lhes que, de modo algum, falassem ou ensinassem em nome de Jesus. 19Pedro e João responderam: “Julgai vós mesmos, se é justo diante de Deus que obedeçamos a vós e não a Deus! 20Quanto a nós, não nos podemos calar sobre o que vimos e ouvimos”.

21Então, insistindo em suas ameaças, deixaram Pedro e João em liberdade, já que não tinham meio de castigá-los, por causa do povo. Pois todos glorificavam a Deus pelo que havia acontecido.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 117,1-21)

— Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes.

— Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes.

— Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!” O Senhor é minha força e o meu canto, e tornou-se para mim o Salvador. “Clamores de alegria e de vitória ressoem pelas tendas dos fiéis.

— A mão direita do Senhor fez maravilhas, a mão direita do Senhor me levantou, a mão direita do Senhor fez maravilhas! O Senhor severamente me provou, mas não me abandonou às mãos da morte.

— Abri-me vós, abri-me as portas da justiça: quero entrar para dar graças ao Senhor! “Sim, esta é a porta do Senhor, por ela só os justos entrarão!” Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes e vos tornastes para mim o Salvador!

Evangelho (Mc 16,9-15)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

9Depois de ressuscitar, na madrugada do primeiro dia após o sábado, Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual havia expulsado sete demônios. 10Ela foi anunciar isso aos seguidores de Jesus, que estavam de luto e chorando.11Quando ouviram que ele estava vivo e fora visto por ela, não quiseram acreditar. 12Em seguida, Jesus apareceu a dois deles, com outra aparência, enquanto estavam indo para o campo. 13Eles também voltaram e anunciaram isso aos outros. Também a estes não deram crédito. 14Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto estavam comendo, repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado. 15E disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura!”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

A incredulidade vence nossas experiências de fé

 “Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto estavam comendo, repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado” (Marcos 16,14).

Jesus apareceu muitas vezes, durante esses quarenta dias entre a Sua Ressurreição e volta para o Pai. Mas não foi o suficiente porque quando o coração se fecha, não se dilacera e não se abre, a incredulidade vence as nossas experiências de fé.

É isso que estava acontecendo com os Seus discípulos, alguns deixaram-se ser iluminados, convencidos pela luz da vida, pela presença do Ressuscitado.

Deus é misericordioso, bondoso e conhece as nossas fragilidades e temeridades, Ele conhece quão dura é a nossa cabeça, quão fechado, muitas vezes, se encontra o nosso coração, tão preso pela materialidade porque não é capaz de romper com as expectativas humanas para penetrar nos mistérios profundos da nossa fé.

Sem fé ninguém mergulha nos mistérios de Deus, sem fé não encontramos com a luz de Deus, sem fé não encontramos com o Ressuscitado. Viveremos de angústias, inquietações, preocupações, perturbações, viveremos dos medos e até medo de sair de Deus, mesmo não tendo certeza ou convicção onde Ele está.

Permitamos que o Cristo Ressuscitado, vivo no meio de nós, possa repreender toda e qualquer incredulidade

É preciso mais do que nunca deixar que Deus vença a dureza do nosso coração, e assim como Jesus repreendeu os Seus discípulos por causa da incredulidade e dureza do nosso coração, permita que seja também repreendido todos os temores, medos e, sobretudo, incredulidades da nossa alma.

Repreender significa tratar com dureza mesmo; precisamos dar uma “sacudida” no coração, aquela sacudida da fé, para não caminharmos somente naquela visão atônita porque não acordamos. O Senhor está no meio de nós e Ele já nos deu tantas provas do Seu amor que, se não nos levantamos, é porque o coração está fechado e tomado pela incredulidade.

Permitamos que o Cristo Ressuscitado, vivo no meio de nós, possa repreender toda e qualquer incredulidade, toda e qualquer falta de fé, mas, sobretudo, possa repreender as durezas do nosso coração, para que se abra para contemplar a Sua presença viva no meio de nós.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo  - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.