Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Leitura dos Atos dos Apóstolos

Naqueles dias, 8Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga de Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão.

10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. 11Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. 12Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao Sinédrio.

13Aí apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a Lei. 14E nós o ouvimos afirmar que Jesus Nazareno ia destruir este lugar e ia mudar os costumes que Moisés nos transmitiu”.

15Todos os que estavam sentados no Sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estêvão, e viram seu rosto como o rosto de um anjo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 118,23-30)

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Que os poderosos reunidos me condenem; o que me importa é o vosso julgamento! Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.

— Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade! Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Escolhi seguir a trilha da verdade, diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

Evangelho (Jo 6,22-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. 22No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos.

23Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. 24Quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum.

25Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. 27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”.

28Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Jesus é o alimento que nos conduz à eternidade

Coloquemos nossos esforços no alimento que permanece para sempre: a vida eterna que o Filho de Deus nos trouxe

“Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo” (João 6, 27).

Amados irmãos e irmãs, muitas vezes, ficamos entusiasmados com Deus quando Ele abençoa, faz crescer aquilo que já temos, quando a nossa mesa está farta, quando conseguimos um bom emprego, quando conseguimos melhorar no que fazemos. Associamos, muitas vezes, nossa ligação com Deus com o que é material.

Não permita que sua ligação com Deus seja comercial, material e capitalista. Na penúria ou abundância, nosso coração precisa ser de Deus. Com o pouco ou com o muito que temos, nosso coração precisa estar n’Ele!

Não pense que ter muitas graças é ter muitas coisas, porque, às vezes, a pessoa está aumentando suas riquezas, seus bens, suas posses e diz: “Ah, é Deus quem está me abençoando!”. Não é verdade que o aumento de posse, de bens materiais seja sinônimo de aumento de graça, porque, tantas vezes, o aumento das coisas materiais acaba sendo uma verdadeira desgraça para a nossa vida, nos torna pessoas orgulhosas, avarentas e opulentas.

Tantas vezes, crescer na posse dos bens materiais nos afasta da posse da graça do essencial. Deus abençoa quem trabalha com aplicação, com diligência, quem coloca os seus dons e é capaz de melhorar e crescer na vida.

Não pense que aqueles que levam uma vida simples, que se contentam com o pouco que têm são menos abençoados por Deus. Muitas vezes, a pessoa na pior das indigências é toda de Deus. E como é difícil uma pessoa que muito têm lembrar-se de Deus e ser livre para servi-Lo.

Por isso, meus irmãos, não trabalhemos apenas pelo pão dessa vida, pelos elementos e alimentos dessa vida, mas coloquemos os nossos esforços no alimento que permanece para sempre: a vida eterna que o Filho de Deus nos trouxe. Os outros alimentos são perecíveis, servem para essa vida, mas o alimento que nos sustenta para a eternidade é o próprio Jesus quem nos dá!

A bênção não está em possuir muito, mas em se abrir para que a graça de Deus esteja em nós, para que o Pão da Vida seja o nosso alimento e a nossa busca pelo Reino de Deus não seja menor do que nossos esforços pelo bens terrenos.

Vivamos o equilíbrio da vida, sabendo trabalhar para conquistar o pão de cada dia e dando o melhor de nós para alcançar o pão da eternidade!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios