Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 14,5-18)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, em Icônio, 5pagãos e judeus, tendo à frente seus chefes, estavam dispostos a ultrajar e apedrejar Paulo e Barnabé. 6Ao saberem disso, Paulo e Barnabé fugiram e foram para Listra e Derbe, cidades de Licaônia, e seus arredores.  7Aí começaram a anunciar o Evangelho. 8Em Listra, havia um homem paralítico das pernas, que era coxo de nascença e nunca fora capaz de andar. 9Ele escutava o discurso de Paulo. E este, fixando nele o olhar e notando que tinha fé para ser curado, 10disse em alta voz: “Levanta-te direito sobre os teus pés”. O homem deu um salto e começou a caminhar.

11Vendo o que Paulo acabara de fazer, a multidão exclamou em dialeto licaônico: “Os deuses desceram entre nós em forma de gente!” 12Chamavam a Barnabé Júpiter e a Paulo Mercúrio, porque era Paulo quem falava. 13Os sacerdotes de Júpiter, cujo templo ficava defronte à cidade, levaram à porta touros ornados de grinaldas e queriam, com a multidão, oferecer sacrifícios. 14Ao saberem disso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as vestes e foram para o meio da multidão, gritando: 15“Homens, que estais fazendo? Nós também somos homens mortais como vós, e vos estamos anunciando que precisais deixar esses ídolos inúteis para vos converterdes ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles existe. 16Nas gerações passadas, Deus permitiu que todas as nações seguissem o próprio caminho. 17No entanto, ele não deixou de dar testemunho de si mesmo através de seus benefícios, mandando do céu chuvas e colheitas, dando alimento e alegrando vossos corações”. 18E assim falando, com muito custo, conseguiram que a multidão desistisse de lhes oferecer um sacrifício.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 113b)

— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja glória.

— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja glória.

— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja a glória, porque sois todo amor e verdade! Por que hão de dizer os pagãos: “Onde está o seu Deus, onde está?”

— É nos céus que está o nosso Deus, ele faz tudo aquilo que quer. São os deuses pagãos ouro e prata, todos eles são obras humanas.

— Abençoados sejais do Senhor, do Senhor que criou céu e terra! Os céus são os céus do Senhor, mas a terra ele deu para os homens.

Evangelho (Jo 14,21-26)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João. 

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 21“Quem acolheu os meus mandamentos e os observa, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele”. 22Judas – não o Iscariotes – disse-lhe: “Senhor, como se explica que te manifestarás a nós e não ao mundo?” 23Jesus respondeu-lhe: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. 24Quem não me ama não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou. 25Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. 26Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O lugar da morada de Deus é em nós

 “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada” (João 14,23).

Deus quis e quer fazer morada em nós. Ficamos olhando onde está Deus e saímos para ir onde Ele se encontra. Às vezes, as pessoas fazem viagens longas, vão aos santuários, à Terra Santa. E é bom, é necessário peregrinar para tocar em lugares essenciais da vivência da fé, em manifestações amorosas de Deus durante a história da humanidade, inclusive, na Sua própria encarnação no meio de nós.

É preciso, acima de tudo, tomar consciência de que o lugar da morada de Deus é em nós. Os templos construídos pelas mãos dos homens são importantes, como o lugar do culto, da adoração, lugar de comunhão com Deus e os irmãos. Mas o lugar primordial da morada de Deus é em nós.

Tornamo-nos templos do Deus vivo, o Espírito de Deus mora em nós, o Defensor, o Espírito que o Pai enviou mora em nós. Mais do que isso, Jesus está afirmando que para todo aquele que O ama e guarda a Sua Palavra, o Pai vem. O Espírito já abriu as portas, já está em nós, agora vem o Pai, o Filho e o Espírito fazer morada em nós. É a realidade mais sublime: somos moradas da Santíssima Trindade, ela habita em nós.

Tornemo-nos moradas dignas e verdadeiras da Trindade. Amemos Jesus, mas não O amemos somente com palavras e frases de efeito – “Eu amo Jesus”. Quem O ama guarda a Sua Palavra; quem ama Jesus não precisa ficar repetindo ladainhas o dia inteiro.

É preciso, acima de tudo, tomar consciência de que o lugar da morada de Deus é em nós

Quem ama Jesus se volta e se recolhe para Ele. Não podemos dizer que amamos Jesus, se amamos mais a nós mesmos, as nossas coisas, inquietações, preocupações e não temos nem tempo para Ele. Não podemos dizer que amamos Jesus se não nos voltamos para meditar a Sua Palavra nem a guardamos.

A regra é essa: contemplar a Palavra, escutá-la e guardá-la no coração para praticá-la na vida, porque nenhuma coisa nem outra pode ser deixada de lado; precisamos nos reservar para meditar, diariamente, a Palavra, sem abrir mão, sem exceção. Depois que nos dedicamos à Palavra, precisamos deixar que ela haja em nós, que ela, realmente, retire de nós o que não é de Deus, para que permaneçamos somente na Sua Palavra.

A Palavra do Senhor permanece em nós, porque, quando decidimos permanecer na Palavra, é Deus quem vem fazer morada em nós. “Eu e meu Pai o amaremos, e nós viremos e faremos nele a nossa morada”. É uma das realidades mais sublimes que conheço. “Quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele”.      

Deus se manifesta na nossa vida quando O amamos, guardamos e vivenciamos a Sua Palavra.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios