Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Jr 20,10-13)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

10Eu ouvi as injúrias de tantos homens e os vi espalhando o medo em redor: “Denunciai-o, denunciemo-lo”. Todos os amigos observavam minhas falhas: “Talvez ele cometa um engano e nós poderemos apanhá-lo e desforrar-nos dele”.

11Mas o Senhor está ao meu lado, como forte guerreiro; por isso, os que me perseguem cairão vencidos. Por não terem tido êxito, eles se cobrirão de vergonha. Eterna infâmia, que nunca se apaga! 12Ó Senhor dos exércitos, que provas o homem justo e vês os sentimentos do coração, rogo-te me faças ver tua vingança sobre eles; pois eu te declarei a minha causa. 13Cantai ao Senhor, louvai o Senhor, pois ele salvou a vida de um pobre homem das mãos dos maus.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 17)

— Ao Senhor eu invoquei na minha angústia e ele escutou a minha voz.

— Ao Senhor eu invoquei na minha angústia e ele escutou a minha voz.

— Eu vos amo, ó Senhor! Sois minha força, minha rocha, meu refúgio e Salvador!

— Meu Deus, sois o rochedo que me abriga, minha força e poderosa salvação, sois meu escudo e proteção: em vós espero! Invocarei o meu Senhor: a ele a glória! E dos meus perseguidores serei salvo!

— Ondas da morte me envolveram totalmente, e as torrentes da maldade me aterraram; os laços do abismo me amarraram e a própria morte me prendeu em suas redes.

— Ao Senhor eu invoquei na minha angústia e elevei o meu clamor para o meu Deus; de seu Templo ele escutou a minha voz, e chegou a seus ouvidos o meu grito.

Evangelho (Jo 10,31-42)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 31os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. 32E ele lhes disse: “Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?”

33Os judeus responderam: “Não queremos te apedrejar por causa das obras boas, mas por causa de blasfêmia, porque sendo apenas um homem, tu te fazes Deus!” 34Jesus disse: “Acaso não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’?

35Ora, ninguém pode anular a Escritura: se a Lei chama deuses as pessoas às quais se dirigiu a palavra de Deus, 36por que então me acusais de blasfêmia, quando eu digo que sou Filho de Deus, eu a quem o Pai consagrou e enviou ao mundo? 37Se não faço as obras do meu Pai, não acrediteis em mim. 38Mas, se eu as faço, mesmo que não queirais acreditar em mim, acreditai nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai”.

39Outra vez procuravam prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles. 40Jesus passou para o outro lado do Jordão, e foi para o lugar onde, antes, João tinha batizado. E permaneceu ali. 41Muitos foram ter com ele, e diziam: “João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem, é verdade”. 42E muitos, ali, acreditaram nele.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Sejamos tolerantes com o nosso próximo

 “Os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. E ele lhes disse: ‘Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?’” (João 10,31).

Pegar pedras nas mãos para jogar em alguém significa que nós rejeitamos aquela pessoa, queremos nos ver livres dela, daquela situação, daquilo que ela fala, porque nos incomoda.

A prática antiga ou a prática da lei judaica mandava apedrejar quem blasfemasse, quem trouxesse uma ofensa grave à vida, sobretudo, na relação com Deus. Hoje, graças a Deus, não pegamos mais em pedras para jogar nas pessoas, mas é verdade que estamos vivendo numa sociedade muito agressiva, e as pedras que usamos, muitas vezes, são mais pesadas do que as pedras físicas e materiais.

A forma como as pessoas se dirigem umas às outras para apedrejar, para atentar uma contra às outras, a violência moral e verbal que vemos nas redes sociais! Muitas vezes, vemos nas ruas que as pessoas se tornam mais intolerantes umas com as outras. O que certo grupo religioso da época perdeu foi a tolerância para com Jesus. A tolerância não é porque o outro está errado, é porque não toleramos ser contrariados, não aceitamos que o outro fale o que não está de acordo com o que queremos, pensamos e achamos.

A intolerância levou Jesus à morte e, muitas vezes, nós que também seguimos Jesus temos as mesmas práticas religiosas, tornamo-nos também intolerantes dentro da nossa própria casa, da nossa igreja, dos nossos grupos e trabalhos. Não aceitamos ser contrariados, contraditados nem questionados; queremos todo mundo pensando da mesma forma que nós.

A tolerância não é porque o outro está errado, mas porque não toleramos ser contrariados

Se há guerras ideológicas no mundo, muitas vezes, transformamos a nossa religião em ideologia para combatermos outros, para criarmos guerras religiosas, para, novamente, chamarmos cruzadas e tantas coisas em nome de uma pretensa fé.

Não apedrejemos novamente Jesus, não permitamos que Ele seja apedrejado em nome das nossas convicções religiosas. Não temos o direito de agredir ninguém, de bater em ninguém, de combater ninguém, a não ser testemunhando a nossa fé. Nada, entretanto, justifica agressão física, moral, verbal e psicológica. Nada justifica entrarmos na pilha do mundo e trazermos o pior do mundo para dentro da nossa vivência de fé.

Jesus morreu, quiseram apedrejá-Lo porque não O aceitaram, porque se tornaram intolerantes e não toleraram a presença d’Ele. 

Irmãos, seguidores de Jesus Cristo, aprendamos a conviver, a respeitar e a lidar com o diferente, é a resposta mais cristã e amorosa que podemos dar. Éla é muito mais importante que os nossos dogmas e ensinamentos religiosos.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios