Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Sm 4,1-11)

Leitura do Primeiro Livro de Samuel.

1Naqueles dias, os filisteus reuniram-se para fazer guerra a Israel. Israel saiu ao encontro dos filisteus, acampando perto de Eben-Ezer, enquanto os filisteus, de sua parte, avançaram até Afec 2e puseram-se em linha de combate diante de Israel.

Travada a batalha, Israel foi derrotado pelos filisteus. E morreram naquele combate, em campo aberto, cerca de quatro mil homens. 3O povo voltou ao acampamento e os anciãos de Israel disseram: “Por que fez o Senhor que hoje fôssemos vencidos pelos filisteus? Vamos a Silo buscar a arca da aliança do Senhor para que ela esteja no meio de nós e nos salve das mãos dos nossos inimigos”.

4Então o povo mandou trazer de Silo a arca da aliança do Senhor todo-poderoso, que se senta sobre querubins. Os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias, acompanhavam a arca. 5Quando a arca da aliança do Senhor chegou ao acampamento, todo Israel rompeu num grande clamor, que ressoou por toda a terra.

6Os filisteus, ouvindo isso, diziam: “Que gritaria é essa tão grande no campo dos hebreus?” E souberam que a arca do Senhor tinha chegado ao acampamento.

7Os filisteus tiveram medo e disseram: “Deus chegou ao acampamento!” E lamentavam-se: 8“Ai de nós! Porque os hebreus não estavam com essa alegria nem ontem nem anteontem. Ai de nós! Quem nos salvará da mão desses deuses tão poderosos? Foram eles que afligiram o Egito com toda espécie de pragas no deserto. 9Mas coragem, filisteus, portai-vos como homens, para que não vos torneis escravos dos hebreus como eles o foram de vós! Sede homens e combatei!

10Então os filisteus lançaram-se à luta, Israel foi derrotado e cada um fugiu para a sua tenda. O massacre foi grande: do lado de Israel tombaram trinta mil homens. 11A arca de Deus foi capturada e morreram os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 43)

— Libertai-nos, Senhor, pela vossa compaixão!

— Libertai-nos, Senhor, pela vossa compaixão!

— Porém, agora nos deixastes e humilhastes, já não saís com nossas tropas para a guerra! Vós nos fizestes recuar ante o inimigo, os adversários nos pilharam à vontade.

— De nós fizestes o escárnio dos vizinhos, zombaria e gozação dos que nos cercam; para os pagãos somos motivo de anedotas, zombam de nós a sacudir sua cabeça.

— Levantai-vos, ó Senhor, por que dormis? Despertai! Não nos deixeis eternamente! Por que nos escondeis a vossa face e esqueceis nossa opressão, nossa miséria?

Evangelho (Mc 1,40-45)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 40um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres, tens o poder de curar-me”. 41Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” 42No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado. 43Então Jesus o mandou logo embora, 44falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!”

45Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Qual é o preço que você pagaria por amar alguém?

 “Ele foi iniciado e a contar e divulgar muito o fato. Por isso, Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: foram fora, lugares em desertos. E de toda parte vinham procurá-lo” (Marcos 1,45) .

A dor de um leproso era enorme! Nós estamos no Evangelho em que Jesus cura aquele homem da lepra. Não pensemos que a dor da hanseníase seja meramente corpórea por causa das feridas e sangramentos, pois apenas aspectos da dor. A dor de um leproso tocava a sua dimensão afetiva, espiritual, psicológica e emocional. 

A maior causa da dor de um leproso era a separação das pessoas, o isolamento (palavra tão presente nos dias atuais) que era imposto pela condição da lepra, pois quem tinha essa doença não podia ser com as pessoas, ou seja, nossos dias isolados . O leproso era excluído, era alguém que perdia a noção do amor e do que era o com outras pessoas.

Quem ama está disposto a assumir o lugar do outro; quem ama está disposto a pagar um alto preço

Depois de curado, aquele leproso começa a divulgar o fato, mesmo que Jesus tenha pedido para não o publicar, ele começa a falar sobre a fama de Jesus. Isso teve um preço; e Jesus teve de pagar. 

Agora, aqui, começa uma versão — porque, na do leproso do leproso na da Jesus, as coisas acontecem, pois isso acontece —, o proso reforma a sua vida social, ele volta para vida quando o entrale vida, e para o contato com o mundo e com as pessoas, ele está purificado, pode voltar a frequentar o templo, a se dirigir às pessoas, a falar com Deus; pode, pode ir e vir quando quiser. No entanto, agora, é Jesus quem é isolado, Ele não podia mais entrar na cidade. Aqui acontece o amor. Quem ama está disposto a assumir o lugar do outro; quem ama está disposto a pagar um alto preço.

Que grau de você tem com a vida de alguém? Que disposição você tem para pagar o preço por amar alguém? Pode ser alguém da sua família ou quem está bem perto de você. Você está disposto a pagar o preço para viver esse amor?

É uma boa oportunidade que o Evangelho de hoje nos dá: reflitamos se o nosso amor é, de fato, gratuito, desinteressado, livre… Ou se é um amor interesseiro, possessivo. Além disso, o Evangelho nos dá também a oportunidade de mergulhar no nosso coração nesta experiência profunda de amor que Jesus: de colocar-se no lugar do outro, de ter a coragem de desenhar o lugar do outro, porque, agora, é Jesus o leproso, é Jesus quem tem que em lugares desertos, fora da cidade, isolado; esperando que alguém fosse ao seu encontro.

E esse é o amor de Deus. Ele assume o meu (eo teu lugar) e pagou o preço com a própria vida para salvar a mim e você!

Sobre todos vós, a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Padre Donizete Ferreira  - Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.