Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Sb 18,14-16; 19,6-9)

Leitura do Livro da Sabedoria.

18,14Quando um tranquilo silêncio envolvia todas as coisas e a noite chegava ao meio de seu curso, 15a tua palavra onipotente, vinda do alto do céu, do seu trono real, precipitou-se, como guerreiro impiedoso, no meio de uma terra condenada ao extermínio; como espada afiada, levava teu decreto irrevogável; 16defendendo-se, encheu tudo de morte e, mesmo estando sobre a terra, ela atingia o céu. 19,6Então, a criação inteira, obediente às tuas ordens, foi de novo remodelada em cada espécie de seres, para que teus filhos fossem preservados de todo perigo. 7Apareceu a nuvem para dar sombra ao acampamento, e a terra enxuta surgiu onde antes era água: o mar Vermelho tornou-se caminho desimpedido, e as ondas violentas se transformaram em campo verdejante, 8por onde passaram, como um só povo, os que eram protegidos por tua mão, contemplando coisas assombrosas. 9Como cavalos soltos na pastagem e como cordeiros, correndo aos saltos, glorificaram-te a ti, Senhor, seu libertador.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 104)

— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!

— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!

— Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus!

— Matou na própria terra os primogênitos, a fina flor de sua força varonil. Fez sair com ouro e prata o povo eleito, nenhum doente se encontrava em suas tribos.

— Ele lembrou-se de seu santo juramento, que fizera a Abraão, seu servidor. Fez sair com grande júbilo o seu povo, e seus eleitos, entre gritos de alegria.

Evangelho (Lc 18,1-8)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir, dizendo: 2“Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus, e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’ 4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum. 5Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha agredir-me!’” 6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz este juiz injusto. 7E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar? 8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Jamais desistamos de nossa fé

 “Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?” (Lucas 18,8).

Jesus conclui essa parábola maravilhosa com um questionamento muito profundo que cai no coração de cada um de nós: “Quando Ele voltar, vai encontrar a fé no meio de nós?”. O exemplo de fé que Ele dá é justamente dessa viúva, porque o juiz era iníquo, o juiz não temia a Deus, não respeitava ninguém, mas essa viúva era insistente e persistente, ela não desanimava nunca. O juiz já estava até ficando aborrecido com essa mulher de tanto que ela insistia para que ele lhe fizesse justiça.

Para se ver livre mulher mulher, ele diz: “Vou fazer justiça a ela, porque daqui a pouco ela vai me agredir de tanto que ela insiste comigo. Não sou justo, mas tenho que aprender a ser diante da insistência dessa mulher ”.

Não podemos desistir de nossa fé mesmo diante de tantas coisas desanimadoras que enfrentaremos e vivenciamos nesta vida

Se esse juiz, que é injusto, faz justiça com essa viúva, Deus não vai fazer justiça com os seus escolhidos que, dia e noite, clamam por Ele? Por que Jesus nos fala isso? Porque, muitas vezes, o justo desiste de ser justo, o homem de fé desiste da sua fé. Já escutei a pessoa dizer: “Já rezei tanto”, já clamei tanto, mas Deus não me intelectual! ”. Como Deus não nos ouve ?! Como Deus não nos escuta ?! Deus não atende a nossa pressa nem a nossa ansiedade, e Deus não nos conduz de acordo com a nossa dificuldade.

Você pode ter certeza que nenhuma prece é perdida, nenhuma lágrima é ignorada, nenhuma oração é desprezada, mas, no Seu tempo, Deus age com muita justiça. Aconteça o que acontecer, venha o que vier, não deixe de olhar para Deus, não esmoreça por piores e maiores que sejam as aflições do dia a dia.

Olhos fixos no Senhor! Nossos olhos não devem se voltar para os nossos problemas, para os nossos fracassos; os nossos olhos não devem se voltar para as nossas preferências, mas para o Senhor que cuida de nós; e você pode ter certeza que, no Seu tempo, o Senhor fará justiça, o Senhor fará o bem para o justo.

Não podemos cair na retórica do mundo, o justo não pode desistir de ser justo, o homem bondoso não pode desistir da sua generosidade, e não podemos desistir da nossa fé mesmo diante de tantas coisas desanimadoras que enfrentamos e vivenciamos nesta vida. Deus é por nós, e se nós perdemos tudo, mas não perdermos Deus, nós temos tudo, porque Deus nos basta.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.