Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Nm 21,4b-9)

Leitura do Livro dos Números.

Naqueles dias, 4bos filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom. Durante a viagem o povo começou a impacientar-se, 5e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: “Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável”.

6Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”.

Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente de bronze e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá”. 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Responsório (Sl 77)

— Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

— Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

— Escuta, ó meu povo, a minha Lei, ouve atento as palavras que eu te digo; abrirei a minha boca em parábolas, os mistérios do passado lembrarei.

— Quando os feria, eles então o procuravam, convertiam-se correndo para ele; recordavam que o Senhor é sua rocha e que Deus, seu Redentor, é o Deus Altíssimo.

— Mas apenas o honravam com seus lábios e mentiam ao Senhor com suas línguas; seus corações enganadores eram falsos e, infiéis, eles rompiam a Aliança.

— Mas o Senhor, sempre benigno e compassivo, não os matava e perdoava seu pecado; quantas vezes dominou a sua ira e não deu largas à vazão de seu furor.

Evangelho (Jo 3,13-17)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 13“Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.

16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O mistério da cruz garantiu a nossa redenção

 “Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele” (João 3,17).

Hoje, celebremos a Exaltação da Santa Cruz, celebremos o Cristo crucificado e exaltado para a nossa salvação. Porque, lá no deserto, quando o povo caiu doente e estava morrendo — diante de todos os dramas que enfrentavam, serpentes venenosas mordiam e muita gente morria por causa disso —, Deus mandou que Moisés fizesse uma serpente de bronze e todo aquele que olhasse para ela ficaria curado.

Deus se serviu da imagem da serpente para curar o povo no deserto, agora, Deus envia Seu Filho para que, por Ele, toda a humanidade, todo homem, toda mulher que se voltar para Ele também fique curado.

A serpente (aquela do paraíso) também nos mordeu e deixou o seu veneno (…) e, agora, é só Jesus Salvador, o Cristo Redentor, pela sua morte na cruz, que nos livra do poder da morte, do poder do mal e do maligno.

Olhemos para o Cristo crucificado… Enquanto que, para alguns, o Cristo crucificado pode representar sofrimento; para outros, Ele é passado, porque Ele já ressuscitou. Não! Anunciamos o Cristo Crucificado porque, para nós, Ele é poder, salvação de Deus, é nossa libertação.

É na cruz que Jesus assina a nossa libertação, a nossa redenção, é na sua morte que Ele vence a nossa morte e nos dá vida nova

Os homens O condenaram, mas Ele não veio condenar, Ele veio salvar. A cruz não é a nossa condenação, a cruz é a nossa salvação e, por isso, precisamos olhar para o Cristo crucificado, para sermos curados dos nossos pecados, da nossa vaidade, do nosso orgulho, da nossa soberba e do nosso egoísmo.

Quando contemplamos o Crucificado, a forma como Ele foi humilhado, nos despimos de nossas vaidades. Quando olhamos para o Cristo crucificado e vemos como Ele está na cruz, humildemente sendo humilhado, nosso orgulho é vencido, nossa soberba é arrancada e nossas enfermidades são curadas. É por isso que precisamos nos voltar para a cruz de Cristo.

A cruz pela cruz não salva ninguém, é símbolo da maldição, segundo a lei judaica, mas o Cristo crucificado tornou-se bendito para eliminar toda e qualquer maldição; por isso, anunciamos ao mundo o Cristo morto na cruz. Ele está vivo para a glória de Deus, mas o seu sacrifício na cruz jamais será anulado, pelo contrário, é na cruz que Ele assina a nossa libertação, a nossa redenção, é na sua morte que Ele vence a nossa morte e nos dá vida nova, é na sua morte que somos curados, renovados e transformados.

Carregue a cruz no peito, tenha a cruz na sua casa, tenha a cruz no seu carro, mas ela não é um símbolo apenas, é muito mais do que isso. A cruz é a nossa redenção porque é por ela que o nosso Salvador nos redime de todo o mal. Exaltemos o Cristo crucificado na cruz!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.