Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Sf 3,1-2.9-13)

Leitura da Profecia de Sofonias.

Assim fala o Senhor: 1“Ai de ti, rebelde e desonrada, cidade desumana. 2Ela não prestou ouvidos ao apelo, não aceitou a correção; não teve confiança no Senhor, nem se aproximou de seu Deus.

9Darei aos povos, nesse tempo, lábios purificados, para que todos invoquem o nome do Senhor e lhe prestem culto em união de esforços. 10Desde além-rios da Etiópia, os que me adoram, os dispersos do meu povo, me trarão suas oferendas.

11Naquele dia, não terás de envergonhar-te por causa de todas as tuas obras com que prevaricaste contra mim; pois eu afastarei do teu meio teus fanfarrões arrogantes, e não continuarás a fazer de meu santo monte motivo de tuas vanglórias.

12E deixarei entre vós um punhado de homens humildes e pobres”. E no nome do Senhor porá sua esperança o resto de Israel. 13Eles não cometerão iniquidades nem falarão mentiras; não se encontrará em sua boca uma língua enganadora; serão apascentados e repousarão, e ninguém os molestará.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 33)

— Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

— Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem!

— Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não se cubra de vergonha! Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia.

— Mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias o liberta.

— Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido. Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, e castigado não será quem nele espera.

Evangelho (Mt 21,28-32)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: 28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi. 30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. 31Qual dos dois fez a vontade do pai?”

Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo, que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. 32Porque João veio até vós num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O Reino dos Céus é de quem se converte todos os dias

 “Em verdade vos digo, que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus” (Mateus 21,31)

A parábola que Jesus nos conta hoje, no Evangelho, na verdade, é uma parábola comparativa. Aqui, Ele se dirige aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo, como autoridades religiosas da Sua época. É muito simples a pergunta d'Ele, porque aquele pai que tinha dois filhos diz ao primeiro filho: “Meu filho, vai fazer isso!”, E o filho disse: “Meu pai, eu vou trabalhar na vinha”. Mas só diz que vai, e não vai. Ao segundo filho, o pai disse: “Meu filho, vai trabalhar para o seu pai na vinha!”, E o filho disse: “Não vou, pai”, mas depois ele refletiu e disse: “Eu vou”. Ou seja, quem, na verdade, fez a vontade do pai é simples dizer, foi o filho que, mesmo no primeiro momento dizendo não, ele repensou e foi.

Não há nada mais sábio na vida do que a capacidade de pensar e repensar como suas atitudes próprias. Podemos até errar, mas o mal é permanecer sem erro. Podemos, no primeiro momento, até falhar, mas o mal é não reconhecermos como nossas falhas e permanecermos nelas. Aqui, ao que Jesus está se referindo é, justamente, à arrogância, ao orgulho e à sóbrio que toma conta do coração de seu primeiro filho. Ele quis parecer bom e disse: “Eu vou”, mas, na arrogância, não foi, e nem reparou o mal que fez, porque uma coisa falou e fez outra.

Sempre nos achamos religiosos, autênticos, mas não nos convertemos, não mudamos, não nos arrependemos

Perversa é a mentalidade que diz uma coisa na frente e faz outra nas costas; perversa é a mentalidade que vive de aparências, dos discursos e das falas, mas as práticas não relacionadas àquilo que estão fazendo e falando.

É Jesus instalar-se às Suas autoridades religiosas para chamar a nossa atenção de que não basta falarmos: “Eu amo a Deus”, “Deus é tudo para mim”, mas, na prática, não realizarmos aquilo que nos comprometemos a realizar.

Quando Jesus diz das prostitutas e os publicanos - que eram os renegados da época -, é importante frisar o quanto esses publicanos eram tidos como pecadores; e as prostitutas nem se diga !, eram mulheres renegadas, mal vistas… Mas eles, quando ouviram a Palavra de Deus, oportunidade-se comover, converter-se. E quantos mudaram de vida!

Você olha para Mateus: era um publicano e tornado-se mestre do Evangelho. Você olha para Maria Madalena ou outras mulheres que teve a vida que teve de erro no passado (nem sei que erros cometeram), e se converter para o Senhor. Por isso vão elas vão preceder a nós, que sempre nos achamos religiosos, autênticos, já nascemos na Igreja. A pessoa até se vangloria: “Eu sempre fui da igreja”. Mas não se converte, não muda, não se arrepende para crer na obra que Deus realiza no meio de nós. Por isso o Reino dos Céus é para quem se converte a cada dia.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.