Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Is 50,4-9a)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

4O Senhor Deus deu-me língua adestrada, para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo.

5O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás. 6Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba: não desviei o rosto de bofetões e cusparadas. 7Mas o Senhor Deus é o meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado. 8A meu lado está quem me justifica; alguém me fará objeções? Vejamos. Quem é meu adversário? Aproxime-se. 9aSim, o Senhor Deus é meu Auxiliador; quem é que me vai condenar?

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 68)

— Respondei-me pelo vosso imenso amor, neste tempo favorável, Senhor Deus.

— Respondei-me pelo vosso imenso amor, neste tempo favorável, Senhor Deus.

— Por vossa causa é que sofri tantos insultos, e o meu rosto se cobriu de confusão; eu me tornei como um estranho a meus irmãos, como estrangeiro para os filhos de minha mãe. Pois meu zelo e meu amor por vossa casa me devoram com fogo abrasador; e os insultos de infiéis que vos ultrajam recaíram todos eles sobre mim!

— O insulto me partiu o coração; eu esperei que alguém de mim tivesse pena; procurei quem me aliviasse e não achei! Deram-me fel como se fosse um alimento, em minha sede ofereceram-me vinagre!

— Cantando eu louvarei o vosso nome e agradecido exultarei de alegria! Humildes, vede isto e alegrai-vos: o vosso coração reviverá, se procurardes o Senhor continuamente! Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres, e não despreza o clamor de seus cativos.

Evangelho (Mt 26,14-25)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes 15e disse: “Que me dareis se vos entregar Jesus?” Combinaram, então, trinta moedas de prata. 16E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus.

17No primeiro dia da festa dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?” 18Jesus respondeu: “Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos’”.

19Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a Páscoa. 20Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa com os doze discípulos. 21Enquanto comiam, Jesus disse: “Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair”. 22Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a lhe perguntar: “Senhor, será que sou eu?”

23Jesus respondeu: “Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato. 24O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!” 25Então Judas, o traidor, perguntou: “Mestre, serei eu?” Jesus lhe respondeu: “Tu o dizes”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O dinheiro rouba o nosso coração do seguimento de Jesus

 “’Que me dareis se vos entregar Jesus?’ Combinaram, então, trinta moedas de prata. E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus” (Mateus 26,15).

A pergunta que Judas faz aos sumos sacerdotes representa o que está no coração dele, os valores que guiam a sua existência: “Quanto é que vocês me darão”. Estamos sempre preocupados com o quanto ganharemos, o que  receberemos ou o que levaremos de vantagem com alguma coisa.

Um pai de família precisa ganhar um salário suficiente para sustentar a sua casa. Você, como trabalhador, e cada um de nós precisa buscar aquilo que é justo. O problema não é buscar o que é justo, o problema é deixar que o justo se disfarce da justiça e tome conta do nosso coração disfarçado na insensatez da cobiça e da avareza, que leva-nos, muitas vezes, a nos vendermos e a comprarmos uns aos outros.

É sempre preciso dizer que o “deus” deste mundo é o dinheiro, ele manda nas pessoas, ele faz as pessoas serem mais ou menos importantes, ele faz com que bajulemos as pessoas porque que têm dinheiro e desprezemos ou nos equivoquemos com as pessoas que nada têm. Ele faz com que tenhamos comportamentos dúbios para sermos compensados financeiramente ou reconhecidos por aquilo que fazemos.

O dinheiro impulsiona o coração do homem. Quem tem quer ter mais, quem não tem se angustia pelo fato de não ter. Esse desequilíbrio que ele gera em nossa vida nos torna pessoas cobiçosas.

Qual é o valor da nossa vida? Incomparável e sem valor financeiro nenhum. Qual é o valor do nosso caráter? Qual é o valor das nossas escolhas?

Não deixemos que nada roube o nosso coração de Deus, quanto menos o dinheiro

Combinaram trinta moedas de prata para que Judas pudesse entregar Jesus. É o preço que Ele pagou da sua fidelidade, do seu seguimento, da sua convivência com Jesus. Na verdade, o dinheiro roubou o coração de Judas.

Não deixemos que nada roube o nosso coração de Deus, quanto menos o dinheiro. Mas muitas outras coisas que o mundo dá valor, na verdade, tira o valor que Deus tem para nós.

A Liturgia de hoje é um convite para refletirmos e questionarmos o nosso coração: “Qual é o valor que Deus tem para mim?”. Aquilo que tem valor, colocamos em primeiro lugar. Eu sei que Deus tem muito valor para nós, mas não basta ter muito valor, porque o valor d’Ele é único e incomparável a nada neste mundo.

De uma forma mesquinha, Judas comparou o sangue de Jesus com trinta moedas de prata. Hoje, por bem menos ou mais, não entramos em nada quantitativo, mas estamos deixando que roubem nossa fé, nossos valores e o seguimento de Jesus.

Que o nosso coração se ordene para aquilo que, de fato, é o valor mais precioso da nossa vida.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios