Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Dn 9,4b-10)

Leitura da Profecia de Daniel.

4b“Eu te suplico, Senhor, Deus grande e terrível, que preservas a aliança e a benevolência aos que te amam e cumprem teus mandamentos; 5temos pecado, temos praticado a injustiça e a impiedade, temos sido rebeldes, afastando-nos de teus mandamentos e de tua lei; 6não temos prestado ouvidos a teus servos, os profetas, que, em teu nome, falaram a nossos reis e príncipes, a nossos antepassados e a todo o povo do país.

7A ti, Senhor, convém a justiça; e a nós, hoje, resta-nos ter vergonha no rosto: seja ao homem de Judá, aos habitantes de Jerusalém e a todo Israel, seja aos que moram perto e aos que moram longe, de todos os países, para onde os escorraçaste por causa das infidelidades cometidas contra ti.

8A nós, Senhor, resta-nos ter vergonha no rosto: a nossos reis e príncipes, e a nossos antepassados, pois que pecamos contra ti; 9mas a ti, Senhor, nosso Deus, cabe misericórdia e perdão, pois nos temos rebelado contra ti, 10e não ouvimos a voz do Senhor, nosso Deus, indicando-nos o caminho de sua lei, que nos propôs mediante seus servos, os profetas”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 78)

— O Senhor não nos trata como exigem nossas faltas.

— O Senhor não nos trata como exigem nossas faltas.

— Não lembreis as nossas culpas do passado, mas venha logo sobre nós vossa bondade, pois estamos humilhados em extremo.

— Ajudai-nos, nosso Deus e Salvador! Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! Por vosso nome, perdoai nossos pecados!

— Até vós chegue o gemido dos cativos: libertai com vosso braço poderoso os que foram condenados a morrer!

— Quanto a nós, vosso rebanho e vosso povo, celebraremos vosso nome para sempre, de geração em geração vos louvaremos.

Evangelho (Lc 6,36-38)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 36“Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso. 37Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados. 38Dai e vos será dado. Uma boa medida, calcada, sacudida, transbordante será colocada no vosso colo; porque com a mesma medida com que medirdes os outros, vós também sereis medidos”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

O amor de Deus nos faz bons cristãos

Sejamos bons, porque Deus nos faz bem, independentemente de os outros fazerem bem ou não

"Tudo o que você deseja dos outros, faça com eles" (Mt 7, 12).

Deus é um Pai muito bom, Ele ouve os clamores da nossa alma e do nosso coração. Quando batemos à sua porta, Ele se abre para nós e, quando imploramos o perdão, Sua misericórdia nos envolve; quando pedimos a Ele para nos abençoar, Ele nos dá mais que uma bênção, Ele abençoa toda a nossa vida.

Ele está nos ensinando que precisamos ser como Ele. Se nosso Pai é bom, precisamos ser bons filhos também. "Tudo o que você quer dos outros, faça com eles", esta é a regra da vida, é a regra de ouro, regra fundamental para a vida cristã ser abençoada.

Cobramos muito dos outros, esperamos muito dos outros para fazer isso ou aquilo. Queremos que a cidade melhore, mas não fazemos nada, sempre esperamos que o outro faça.

Nossa atitude cristã precisa ser ativa, precisamos colocar nossas cabeças no travesseiro e chegar ao fim de nossos dias com a consciência correta. "Eu fiz o que pude fazer para tornar o mundo melhor. Eu não tenho esperado pelos outros. Não espero que os outros sejam bons para mim ou sejam bons para eles ".

Sejamos bons, porque Deus nos faz bem, independentemente se os outros fazem bem ou não, exercemos o perdão não só se o outro nos perdoa, mas perdoamos, porque Deus já nos perdoa, amamos o mesmo que o outro nos ama ou não porque o amor de Deus está em nós.

Deixe-nos ser para o outro o que Deus é para nós. Não espere que o outro seja bom para que também seja bom.

Hoje, Deus nos ensina, em Sua Palavra, que nossa oração precisa ser de confiança e insistência no que é a bondade de Deus. A insistência da persistência não é a insistência daqueles que desconfiam, mas que confiam.

A oração deve gerar toda a serenidade e tranquilidade na alma e no coração do cristão que sabe quem é o Deus em quem depositou sua confiança.

Sejamos íntegros no coração de Deus, porque Ele cuida de nós.

Deus te abençoe!

Padre Roger Araújo -Padre da Comunidade New Song, jornalista e colaborador da New Song Page. Contato:  padrerogercn@gmail.com  - Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios