Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (2Sm 7,4-5a.12-14a.16)

Leitura do Segundo Livro de Samuel.

Naqueles dias, 4a Palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: 5a“Vai dizer ao meu servo Davi: ‘Assim fala o Senhor: 12Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então, suscitarei, depois de ti, um filho teu, e confirmarei a sua realeza. 13Será ele que construirá uma casa para o meu nome, e eu firmarei para sempre o seu trono real. 14aEu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. 16Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre’”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 88)

— Eis que a sua descendência durará eternamente.

— Eis que a sua descendência durará eternamente.

— Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” E a vossa lealdade é tão firme como os céus.

— “Eu firmei uma Aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, de geração em geração garantirei o teu reinado!”

— Ele, então, me invocará: “Ó Senhor, vós sois meu Pai, sois meu Deus, sois meu Rochedo onde encontro a salvação!” Guardarei eternamente para ele a minha graça e com ele firmarei minha Aliança indissolúvel.

Segunda Leitura (Rm 4,13.16-18.22)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos, 13não foi por causa da Lei, mas por causa da justiça que vem da fé que Deus prometeu o mundo como herança a Abraão ou à sua descendência.

16É em virtude da fé que alguém se torna herdeiro. Logo, a condição de herdeiro é uma graça, um dom gratuito, e a promessa de Deus continua valendo para toda a descendência de Abraão, tanto para a descendência que se apega à Lei, quanto para a que se apoia somente na fé de Abraão, que é o pai de todos nós. 17Pois está escrito: “Eu fiz de ti pai de muitos povos”. Ele é pai diante de Deus, porque creu em Deus que vivifica os mortos e faz existir o que antes não existia. 18Contra toda a humana esperança, ele firmou-se na esperança e na fé. Assim, tornou-se pai de muitos povos, conforme lhe fora dito: “Assim será a tua posteridade”. 22Esta sua atitude de fé lhe foi creditada como justiça.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Evangelho (Mt 1,16.18-21.24a)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

16Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.

21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 24aQuando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado. — Palavra da Salvação.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

José, operário do Reino de Deus, rogai por nós!

 “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque Ela concebeu pela ação do Espírito Santo” (Mateus 1,20).

Hoje, temos a alegria de celebrar São José, o pai adotivo de Jesus, o esposo da Virgem Maria, o patrono e guardião de toda a Santa Igreja. Modelo de homem, modelo daqueles que são servidores do Evangelho.

Olho para José e vejo o homem justo, temente a Deus e fiel ao Senhor em todas as coisas. José até quando não compreendeu, temeu, obedeceu, baixou a cabeça para procurar compreender o que era de Deus. José, o homem servidor, não colocou seus interesses, sua vontade acima de nada, mas se colocou como servidor de Deus para todas as situações.

José, operário do Reino de Deus, não só o operário trabalhador com as suas mãos humanas, como o bom carpinteiro que era, mas foi o operário fundamental para ser a presença de pai, a presença humana, presença de homem na vida do menino, do adolescente e do jovem Jesus.

José, o companheiro de Maria, o esposo, o amigo, aquele que esteve ao lado para cobrir as fragilidades em uma época e sociedade onde a mulher era um ser muito frágil. Ali estava José, companheiro para todas as horas, mesmo quando não compreendeu o segredo belo e profundo entre Maria e Deus, ele, simplesmente, baixou a cabeça e obedeceu.

Queremos São José em nossas casas, em nossas famílias, na Igreja; queremos José guardião da humanidade e da sociedade

Olhemos para José, o homem temente a Deus, a ele foi confiado os tesouros mais preciosos do Reino dos Céus. A José foi confiada a paternidade de Jesus, o Filho eterno de Deus.

José cuidou, amou, protegeu, ensinou e educou Jesus. A José foi confiado o cuidado de Maria, a Mãe de Jesus, a esposa do Espírito Santo, a serva fiel do Senhor.

Olhemos para José, aquele que se guardou para Deus e guardou tudo o que tinha para o Senhor. Ele não guardou nada para si, não reteve nada para ele, não se deixou levar pelas suas vontades, mas procurou em tudo fazer a vontade do Pai.

Queremos José em nossas casas, em nossas famílias, na igreja; queremos José guardião da humanidade e da sociedade. Queremos José, guardião de nossos lares.        

Rezemos: “Dê-nos, Senhor, mais homens como José, servos, obedientes, tementes a Sua Palavra. Coloque, no coração dos homens, o desejo de olharmos para José e sermos fiéis. Bons homens em nossas casas, em nossos lares, em nossas famílias, na sociedade, construtores do Reino dos Céus, bons operários da messe eterna. São José, valei-nos!”. 

Deus abençoe você!   

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

São José

Celebra-se hoje, 19 de março, a Solenidade de São José. Neste dia, a Igreja, espalhada pelo mundo todo, recorda solenemente a santidade de vida do seu patrono.

Esposo da Virgem Maria, modelo de pai e esposo, protetor da Sagrada Família, São José foi escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo.

Seu nome, em hebraico, significa “Deus cumula de bens”.

No Evangelho de São Mateus vemos como foi dramático para esse grande homem de Deus acolher, misteriosa, dócil e obedientemente, a mais suprema das escolhas: ser pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Messias, o Salvador do mundo.

“Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor tinha mandado e acolheu sua esposa” (Mt 1,24).

O Verbo Divino quis viver em família. Hoje, deparamos com o testemunho de José, “Deus cumula de bens”; mas, para que este bem maior penetrasse na sua vida e história, ele precisou renunciar a si mesmo e, na fé, obedecer a Deus acolhendo a Virgem Maria.

Da mesma forma, hoje São José acolhe a Igreja, da qual é o patrono. E é grande intercessor de todos nós.

Que assim como ele, possamos ser dóceis à Palavra e à vontade do Senhor.

São José, rogai por nós!

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios